Depressão com Poesia

Verde essência

No muro
No lago
Na floresta

Verde

Verde sendo

Verde já

A natureza e seus caminhos

A natureza é um carinho

A natureza é cá seu ninho

Versejar

Ver

Ser


Incluo essa canção “Verde” na voz de Leila Pinheiro, indicação do poeta Geraldo, um parceiro aqui da blogosfera que pode ser acessado no Divagações & Pensamentos.

17 thoughts on “Verde essência

  1. Lembrei-me da canção Verde, interpretada por Leila Pinheiro : “Verde as matas no olhar/Ver de perto, ver de novo um lugar:Ver adiante, sede de navegar/Verdejantes tempos/Mudança dos ventos no meu coração”. Abraço

  2. MUROS MURAIS MURALHAS

    Nos muros está grande parte de nossa humana essência. São antigos, e tanto nos parecemos que somos siameses, frente a frente, olhos nos olhos eternamente. Nos muros medram, bem suaves e silentes o musgo e a joaninha, a raiva impotente retranscriada sob a forma de alguma frase violenta, quanto uma anônima declaração de amor (alguém sofre). Não há dúvida que, de tanto cremos e fazermos muros, durante os milênios que viajaram conosco, não há dúvida de que estamos preparados para um futuro de dúvidas. Quem viver, verá. Porém, dando uma sutil espiada nas coisas e nos fatos, pode-se ver claridade lá no meio do túnel, sim, no meio, e não no distante fim do túnel. É como diz o Povão: “A esperança é a última que morre.”Vamos nessa,

    Um abraço,
    DARLAN M CUNHA

Sua opinião agrega: comente aqui 🔄

%d blogueiros gostam disto: