Dia Mundial da Saúde Mental.

Da capacidade de apreciar o caminho

O dia

Hoje dia 10 de outubro é o Dia Internacional da Saúde Mental, data estipulada desde 1992 pela Federação Mundial de Saúde para comemorar e expandir o conhecimento dessa área.

Ao contrário do que muitos pensam, saúde mental não é a ausência de transtornos psicológicos, mas sim a presença de bem estar e gosto em viver.

Portanto, ainda que você não esteja em luta com algum transtorno psicológico, mas vive por aí estressado, cansado, desanimado; se entregando aos prazeres imediatos e passageiros (como drogas lícitas ou ilícitas, comilança, jogos e redes sociais em demasia)… Sinto muito em dizer, mas você é um sério candidato para ter a energia minada e desenvolver alguma doença mental.

A prevenção e a preservação

Ficar aqui falando que a prevenção é o melhor remédio nunca é demais. Então, gostaria de ressaltar o significado dos termos:

Saúde = ausência de doença

Mental = tudo aquilo que não tocamos mas que forma nossas crenças, pensamentos, escolhas e condutas.

Ter Saúde Mental é valorizar a vida, que é única e pessoal, independentemente das circunstâncias. A saúde mental pode não ser palpável, nem durável, mas é real, como é real.

Preservar a saúde mental é um trabalho árduo, a mente nos prega trocadilhos, conhecemos muito pouco dela talvez por isso a tememos tanto.

A mente também precisa de alimentos saudáveis e exercícios que lhe dê forma. Assim como todo o corpo, ela agradece quando temos um sono reparador. Quando nos dispomos à tratar da vida com o cuidado e respeito que ela merece.

Nada é mágico, as contas vão continuar a vencer, o cabelo a cair e os rumores de guerra a pairar no ar. O que temos que lembrar é que têm flores que florescem, outras não, também têm muito especialista em flor’ação por aí para nos auxiliar nessa botânica (leia psquiatras e psicólogos).

Seres pluricelulares

Ainda lembrando das aulas de biologia, somos animais e não matéria bruta porque possuímos células, cada qual com sua função no organismo.

Há células em nós morrendo constantemente num processo de autodestruição. E há células se renovando em nós ainda que não notemos.

Voltando para a saúde mental, já pensaram em

Quais são seus hábitos de autodestruição? E quais são seus hábitos de renovação?

A vida não é fácil, nem por isso ela deixa de ser nosso bem maior. Como todo amor, ela passa por estágios: encantamento, desilusão, excitação, traição, etc. Que a vida não seja um amor mal resolvido.

Dez atitudes para a saúde mental

Enumerei algumas que me fizeram significado, mas existem tantas outras:

  1. Delegar tarefas isso é um dom, temos limites;
  2. Aceitar que certas coisas não vão mudar, o que não significa que temos que ser conformista, mas sim compreensivos.
  3. Não sofrer mais do que deveria, toda dor tem começo, meio e fim.
  4. Parar de ficar ocupando a mente em demasia, como se assim ela não fosse falar com nós. “Pare de se tapear”.
  5. Aceitar que a vida exige sim, que não precisamos ser 100% em tudo, aceitar que não somos super heróis.
  6. Procurar fatos e pessoas que nos façam desenvolver a sensação de pertencimento e adequação. Sim, precisamos de vínculos e apoio.
  7. Aceitar as oportunidades, claro que você pode ser bom o suficiente para assumir o que lhe surge no caminho.
  8. Nos relacionamentos: atenção à autosabotagem, às pessoas tóxicas e ao isolamento social.
  9. Pensar que uma crença pode estar só na sua cabeça e nada mais.
  10. Hobby, esporte, relaxamento e fé.

Como Héstia

Até parece que esses são mais um dos conselhos de quem fala do lado de fora, mas não, quem me acompanha sabe da minha luta para manter a chama da vida acessa.

Se falo isso ou aquilo, foram coisas que fui aprendendo e experimentando no caminho. Práticas que quanto mais partilho, mais aprendo.

Passei boa parte da vida sem autoestima, outra só seguindo as demandas da existência, outra me entregando a fé cega guiada por pessoas alheias, outra bebendo para afogar as mágoas, outra depressiva sem saber.

Achando que a falta do bom humor era só uma característica da personalisade, que a vida se resume em fatalismo, sem saber que o muito negativismo era um reflexo da inflamação da alma.

Na mitologia grega, Héstia era a deusa do fogo, a responsável por não deixar a chama se apagar. Vigiava o lar, a família, buscava a paz.

Sinceramente não sei se um dia o ser humano será pleno, nem sei se sobrará planeta para contar mitos, contos e crônicas uma vez que já estamos destruindo as condições de sobrevivência aqui. O que sei é que seja quando e aonde for o mais importante é estar bem.

Tim tim para todos vocês.

〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️

Dica: para mais informações sobre “saúde mental” procure por esse termo na sessão “pesquisar” aqui do blog, dê um enter e boa leitura🙋🏽‍♀️

〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️

Este trabalho está licenciado uma Licença

Creative Commons

Atribuição 4.0 Internacional

Efeito Papageno – Em Pauta.

O que: Prevenção do suicídio e depressão, sinais de alerta e como ajudar.

Quem: Psicóloga Karen Scavacini.

Onde: Canal GNT.

Quando: 18//09/2018

Por quê: Nesse Papo de Segunda, programa de entrevista da GNT, a psicóloga fala sobre os sinais de alerta de um potencial suicida e maneiras de ajudá-lo. Porém, o que mais me chamou a atenção foi ela explicar sobre o Efeito Papageno, que é ao contrário do Efeito Werther.

Explico melhor, o receio de divulgar na imprensa, quando alguém se mata, por incentivar novos casos de suicídio é chamado de Efeito Werther. Já o Efeito Papageno, alusão à ópera Flauta Mágica de Mozart, é quando a divulgação se torna preventiva. O personagem Papageno foi ajudado por três seres mágicos à seguir a vida. Eles foram seus fatores de proteção.

Gostei muito do que ouvi, sou favorável a quebra de tabus para isso é necessário um grande debate e consciência pública. Penso que para esse tipo de notícias o foco tem que ser na causa e não no causador…

A valorização da vida precisa ser muito além das mídias sociais, estamos numa sociedade doente que clama por ajuda, onde os meios de comunicação têm um papel de formador de opinião fortíssimo. Então, por favor, menos sensacionalismo e mais utilidade pública. A saúde mental agradece.

Falei mais sobre os “efeitos”, porém sugiro assistirem toda a entrevista, está bem instrutiva. São quase dez minutos de um assunto que precisamos entender mais…

 

 

Este trabalho está licenciado uma Licença

Creative Commons

Atribuição 4.0 Internacional

 

Falar é a melhor solução.

Fim de mês, cada mês a sua marca, diz a crendice que agosto é o mês do desgosto, talvez para alguns, mas para outros o sofrimento é desmedido a ponto de ultrapassar a barreira do desejo de viver. Falo em SUICÍDIO. Assunto que precisa ser tratado e não abafado.

Por isso, o *CVV (Centro de Valorização da Vida), realiza o “Setembro Amarelo” com campanhas de conscientização e divulgação para combater essa forma de autodestruição.

Nessa campanha, vários municípios realizam palestras, passeatas, iluminam a cidade e colocam faixas ou símbolos amarelos, distribuem os famosos laços como no Outubro Rosa, Novembro Azul…

Eventos dos quais você pode checar aqui no site do Setembro Amarelo, ou, telefone do *CVV da sua cidade. Também se quiser participar de um modo mais discreto é só por amarelo na sua vida: roupas, redes sociais, flor na janela. Não há limites para a criatividade.

Para cada mês há uma cor e uma campanha relacionada à saúde preventiva. Particularmente fico receosa com datas que tentam transformar tudo em comércio. Por outro lado, penso que temos que ponderar o que precisa ser dito e esclarecido para a consciência coletiva.

Verifiquei que, esse movimento de prevenção ao suicídio é mundial. A Associação Internacional para a Prevenção do Suicídio (ASP) apoia essa campanha e estipulou o dia 10 de Setembro como o “Dia Mundial de Prevenção do Suicídio”. No Brasil, o Setembro Amarelo acontece desde 2014.

Segundo relatos, atualmente há mais mortes por suicídio do que por guerras. Sendo que, segundo a Organização mundial da Saúde (OMS) 90% deles poderiam ser prevenidos.

Suicídio é um daqueles veneno silencioso que vai exterminado dia a dia. Pela agonia insuportável, por a pessoa achar que está sendo um peso, pela saúde mental fragilizada e muitos outros fatores, a pessoa escolhe a morte de companheira, considerando ser o fim… Imagina o grau de desespero, não pensa em paraíso, nem em inferno, nada e nem ninguém lhe atrai, sem vínculos, todo fruto de esperança foi extirpado. Considera mais leve viver sem corpo e consciência. Nem fé, nem ciência conseguem explicar, só deduções. Imagino que isso pode ser consequência das muitas doenças sociais que nos afetam. Com o crescimento da depressão esse fato tende a piorar.

Falo por mim, por vezes um toque de carinho recebido aleatoriamente e a regulagem cerebral de hormônios já evitam maiores problemas.

Temos que agir, isso sim que se chama amor ao próximo. Uma vida poupada, uma que seja, vale a eternidade prometida, vale além das descobertas científicas. Ímpar em significado e mistério. Vida de Amar elo que cresce toda manhã.

Quem acompanha meu blog desde o início (março desse ano) sabe que tento fazer a depressão virar poesia, minicontos, fábulas, informações, e qualquer tipo de arte que desafogue meus pensamentos; busquei ajuda e procurei o lado bom da depressão. Os aqui seguidores talvez também saibam que já tive casos de suicídios na família; e principalmente conhecem a forma como eu descobri a doença e achei a porta de saída: pelo vínculo e respeito à voz de uma amiga. Falar é a melhor solução! Então minha gente: Por favor, não se calem.

*CVV = instituição que trabalha na prevenção do suicídio há 55 anos e conta com mais de 70 unidades e cerca de 2.000 voluntários no Brasil.

Eu sei, enchi de links,🤦‍♀️não resisti, achei pertinentes essas antigas publicações para o contexto, se quiserem vir comigo, vamos lá é só clicar🙋‍♀️

 Abraços de Amar Elo💛