Paisagem, passagem e paz

Querido cume,

Por que há tanta neblina em ti?

Desde o primeiro choro

Começou a escalada

Têm horas que acho que estou perto

Ilusão

Chega a avalanche

Fico sem visão

Ainda zonza

Levanto

Até quando?

Até quando?

Há sufocar

No ar rarefeito

Dessa busca incessante

Das grandes altitudes do ser

Para enfim contemplar

Que tudo em mim é

Paisagem

Passagem e

Paz.

Leia também: Poema Místico

Entre paisagens e passagens.

Colmar, França.

Segundo o mundo das ideias*

Tudo o que temos são reflexos

Do perfeito que há de vir

Será mesmo?

Hoje piso aqui

Meus olhos explodem de alegria

Nas cores

As dúvidas continuam adormecidas

Querendo brilhar

Amanhã estarei passando

Por outros cantos

Com a memória acumulada

De palavras e imagens

Mas lembrarei em cada foto

Que fui reflexo

Numa paisagem

Entre tantas passagens

Há vida

Para os que sabem que ideias morrem

Mas que as paisagens continuam

Bem vindas.

Floresta Negra, Alemanha.

〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️

* Mundo das Ideias, referência a filosofia de Platão.

〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️

Este trabalho está licenciado uma Licença

Creative Commons

Atribuição 4.0 Internacional