A natureza.

REMEMORANDO

Brincando com formatos diferentes, venho agora com o áudio do poema Ondas para quê te quero gravado por mim. Digamos que essa tentativa foi amadora da amadora, compreende?

Esse poema foi feito frente ao mar, no ano passado, um mês depois que comecei o tratamento para a depressão. Quando já tinha a possibilidade de enxergar os fatos sem a trave do pessimismo nos olhos.

Nele já dá para perceber a energia boa que o barulho das ondas e o pisar na areia nos causa. Estar em contato com a natureza, seja da forma que for, é um sagrado bálsamo.

Boas ondas para vocês 🙋🏽‍♀️

Cris.

Este trabalho está licenciado uma Licença

Creative Commons

Atribuição 4.0 Internacional

Ondas do amanhecer. 

Ondas pra que te quero é o post que deixo hoje para relembrarem… esse foi um dos primeiros aqui do blog, após algumas semanas de tratamento para a depressão, já conseguia sentir o poder da natureza mover, esse tal de amanhecer que o depressivo não enxerga. 

🎵A vida vem em ondas

Como um mar

Num indo e vindo infinito🎶



Composição: Lulu Santos/Nelson Motta

Ondas pra que te quero

Ondas para que te quero? 

Para fazer a função das minhas pernas, pra sair correndo dessa terra, pra descobrir segredos oceânicos. 

Venha arrebente nessas pedras, suba bem alto, faça ouvir seu impacto na rocha, molda seus traços, dá seu recado. 

Por sua altura sabemos a profundidade, transporta toda essa energia, preciso de energia.

Ondas do mar, ondas da terra, ondas do ar, ondas do fogo, ondas… Ondas me acorda dessa sonolência diurna, dessa insônia madrugadora, destruidora. 

O  movimento das ondas é constante, perturbador mas transformador, se propaga através do meio. Te quero de meio. Transborda meu cansaço.

Ondas faz me entender a sintonia perdida, vou escutar seu bater. Fico horas observando a sabedoria da sua natureza. Seu impacto impregnou meus ouvidos com o som de um belo amanhã.