O que você quer mesmo?

Quer mesmo superar, ou ao menos, conviver suficientemente bem com a depressão?

Se sim, divido essas dicas que aprendi na prática:

  1. Não se faça de vítima, todo mundo tem desafios. Se te falta energia, é compreensível, mas não permita resumir-se em uma depressão. Procure tratamento.
  2. Volte a pensar no valor da sua vida, para você, para os que te amam, para o mundo que precisa de ações.
  3. Procure insistentemente o que te motiva, o que te põe para frente, o que te faz sentir prazer de ser quem é. E, quando achar, não abandone a motivação. Dê mais motivos para essa ação.
  4. Quando se reencontrar, faça o exercício de olhar para o outro. Para os que estão bem, para te inspirar. E para os que estão mal, pois, tem muita gente precisando da sua ajuda agora. O exercício de se colocar no lugar do outro nos faz ensinar e aprender.
  5. Volte para o corpo, isso mesmo, se olhe com mais carinho, cuide da alimentação e da movimentação do corpo e da mente. Escolha trazer saúde para sua vida.
  6. Ainda falando de escolhas, cada escolha uma consequência. Está preparado?
  7. Tenha coragem de assumir às rédeas da sua vida. Ela é única, ela é sua, ela está aqui e agora. Então, melhor o planejamento do que ser levada ao vento.
  8. Aprenda a dizer não, aprenda a dizer sim, aprenda a dizer.
  9. Se perdoe, se corrija, se entregue, recomece.
  10. Respeite seus limites, a Terra é uma piscina com borda infinita, você não.

Continue lendo “O que você quer mesmo?”

Para as mães que não poderão abraçar seus filhos

Queridas mães,

Eu sei que o desafio dos seus dias são muito maiores do que qualquer um pode imaginar.

Também sei que a palavra saudade ficou muito insignificante diante de você, pois, não há palavras que possa mensurar seus sentimentos.

Mas, gostaria de te lembrar alguns fatos que nada e nem ninguém pode lhe tirar:

  • Não existe ex mãe
  • Você é/foi eterna na vida de alguém
  • Você deu a vida para alguém
  • Você tem vida.

Continue lendo “Para as mães que não poderão abraçar seus filhos”

Das formas como as pessoas lutam.

Flores apontadas para o céu, pés gravados no chão, mais um dia, mais uma canção.

〰〰〰〰〰〰〰〰〰〰〰〰〰〰〰

Uns lutam para viver construindo impérios,

outros para se manter dentro do próprio corpo,

outros para manter um lindo corpo.

Também têm aqueles que lutam para se alimentar,

os que lutam sem acreditar e

os que lutam para se vingar.

Há vários tipos de lutas,

entre elas poucas certezas,

como a do indubitável começo e do fim,

como a do exemplo deixado,

e principalmente

a de que a luta é individual,

mas seus reflexos são coletivos e intensos.

Abaixo segue um som para o nosso sabadão: Ninguém é igual a ninguém (Desilusão), letra e interpretação de Vanessa da Mata, 2014.

🎼A morte em vida🎼minha força talvez seja me lembrar, que me levantei🎼

Bom fim de semana pessoal, seguem meus abraços cristalinos,

🙋🏽‍♀️

Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença

Creative Commons – Atribuição 4.0 Internacional

Conselho de segunda-feira.

Conselho é igual regime que começa na segunda-feira.

Quase ninguém leva a sério, mas não custa tentar. Vai que rola.

Aqui segue o meu:

Movimente-se porque a vida é luta”.

Então procure saber

Escolher a luta que quer entrar, isso é uma batalha diária. Umas valem a pena, outras nem tanto assim.

E ainda tem aquelas que não escolhemos, mas as armas são postas em nossas mãos, querendo ou não, sabendo ou não, lutar.

É a batalha da vida, sem perdedores, sem ganhadores, porque a vida nunca pára de rodar, nem as lutas de nos impulsionar.

Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença

Creative Commons – Atribuição 4.0 Internacional