Quer sim, quer não

Parece que gostamos de sofrer
por falta de antecipação

Veja bem

Todo dia

O trem tem sempre o mesmo horário de partir

Ainda assim

O que mais se vê

São pessoas correndo
para não perder a partida

O trem vai

Quer a gente corra

Quer não

Quer a gente sofra

Quer não

Pare de rodear o que quer

Vá direto ao ponto

O trem não espera

As estações passam

Até a hora de partir

Quem verão

Os sonhos

Nas janelas embasadas

Do inverno?

Cartinha de Natal.

Natal não é presente ou ingredientes

Natal é o nosso coração que é cheio de emoção

Natal genial é um feriado ideal Natal em família é alegria

Natal é especial por causa de Jesus amado

Natal não é Papai Noel ou casas decoradas

Natal é especial por causa de eu e você juntos que criamos o mundo…

Oi pessoal,

essa foi a cartinha da minha filha, a parte debaixo cortei porque tinha o nome de todos nós, inclusive avós, tias e primos que estão longe, do avó e do nosso cachorro que partiram esse ano. No final estava escrito “todos vocês fazem parte da minha história”.

Ah! Só posso dizer que é muito amor envolvido. Do muito que aprendi esse ano foi que o amor é maior do que a vida, e, que a vida é maior do que a literatura.

Quanto ao amor, digo isso porque mesmo nos dias mais escuros, quando recebemos esse tipo de amor puro nossas células espirituais se renovam, o amor diz à vida: siga.

Quanto à literatura, esse ano a escrita foi uma válvula de escape para mim, e mais que isso, ela me fez voltar a ter contato com a intuição, antes estava muito focada só na reflexão. Mas, através da terapia tenho descoberto que a vida é muito maior do que qualquer letra que podemos colocar no papel. E que a poesia é feita tanto quanto com o que se olha para dentro quanto com o que se olha para fora.

Têm dias que minha cabeça e sentimentos estão um turbilhão, isso antes me incomodava, agora procuro me apegar ao ” você têm dias”. Fruto da terapia.

Essa fase de fim de ano mexe muito conosco, há uma atmosfera boa e colorida, mas também há cobranças, saudade, superficialidade. Pessoalmente não sou uma pessoa muito festiva, que decora a casa, faz comidas especiais, gosta de queima de fogos e tal.

Estou aprendendo o valor de tudo isso depois que tive filhos. Meu marido e filho também não dão muito importância para essas coisas, seres práticos e objetivos.

Já a pequena, ah ela, traz muita luz para essa casa, me faz ver de um jeito diferente. Ela montou a árvore de Natal e aprontou o maior cenário aqui hoje, disse que vai fazer uma apresentação.

Os presentes deles estão lá embaixo, sem embrulhos é claro, risos, comprados pela Amazon e entregues em casa. Detesto a muvuca das lojas nesse tempo.

Meu filho e meu pai limparam toda a sala, apoio fundamental nas grandes e nas pequenas coisas.

Meu filho pediu feijoada para o prato principal, pedido atendido.

Agora deitei um pouco para escrever para vocês e dizer que ando com a leitura dos blogs atrasadas…chego lá.

Vou tomar um banho, preparar a mesa, colocar a toca e esperar bater o sino.

Boas festas,

Cris.

Esta obra está licenciada com uma Licença
Creative Commons Atribuição Não Comercial Compartilha Igual 4.0 Internacional

Neuroliteratura

O que: Neuroliteratura

Quem: crítico literário Paulo Werneck

Onde: Café Filosófico / TV Cultura

Quando: 16.12.2018

Porquê: Aos amantes da literatura com teor neuropsicológico essa palestra é digamos o que há. Papel e caneta nas mãos para anotarem as indicações de livros dos mais variados transtornos psicológicos: depressão, bipolaridade, síndrome de touarette, etc.

O enfoque é que se a literatura relata o que se passa em determinado tempo histórico, o que nossa escrita atual quer nos dizer?

Uma particularidade que me chamou atenção foi a fala de que antes procurávamos soluções para a saúde mental através da fala, a cura pela fala, tão disseminado por Freud. Hoje estamos atrás da neurociência e dos medicamentos por ela descobertos.

Mas, como sempre relato por aqui estamos no começo da desmistificação e estudos aprofundados sobre o funcionamento do cérebro.

E quem disse que esses transtornos são só cerebrais?

Na minha experiência uso os dois, a psicoterapia e os antidepressivos, os quais considero que me ajudaram demais, mas, ainda há algo indefinido, encoberto e mau resolvido nesse tratamento…

Dos livros de romances mencionados li somente o “Alienista”. Agora comecei “A Montanha Mágica”, o qual não foi citado lá, mas se passa num sanatório.

Se alguém leu algum dos demais seria bem interessante dividir suas impressões conosco aqui.

Abraços cristalinos🙋🏽‍♀️

〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️

Não sei até quando vou conseguir manter o EM PAUTA aqui, está em votação no Parlamento Europeu a discussão sobre os artigos 11 e 13, que resumidamente são referentes aos direitos dos autores e produtores de conteúdo. Se aprovados, o compartilhamento (links/vídeos) será limitado, restrito e passará por diversos filtros. Vamos aguardar.

〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️

Esta obra está licenciada com uma Licença
Creative Commons Atribuição Não Comercial Compartilha Igual 4.0 Internacional