Depressão com Poesia

Ler silêncios

Dentre as muitas ausências

Se perdeu a inocência

Da criança

Que já não tinha

Para onde olhar

Tateava referências

Para o sonhado lar

Em telas

Em brinquedos

Em desenhos na areia

Sem enxergar os sentidos

Perdidos

Foi quando

Encontrou como guia

Um cão

Feroz

Barulhento

Reativo

Ao qual colocou o nome

De Vida

Assim entrou

No mundo adulto

Sendo doma.dor

E lá começou a ver

Que o bom mesmo

É não ignorar

A criança interior

Aprendeu a ler silêncios

Controlar a dor

Acalmar a Vida

Ir e sorrir

Uma vez que

Mesmo na ausência

Há uma presença que fala

Ainda que não se queira ouvir…



e-books por Cristileine Leão


Flores cantam Poesias: fotografias e poemas

para apreciar a beleza