Na espera

Os peixes nadavam para lá e para cá

Naquele lugar grande

Mas raso

Assim são os lagos artificiais

Não sei se estavam ali de propósito/

Na simbologia os peixes representam

Milagres, fé e bons acontecimentos

Quando eles viam os humanos

Logo corriam para a beira do lago

Na procura de alimento/

A maioria dos humanos

Passavam desesperados

A face da dor é perturbadora

O grito da agonia anuncia a morte/

Também passou a mãe com bebê no colo

Ontem a outra perdeu a vida para dar a luz

Fiquei triste/

Enquanto espero quem recebeu alta

Conto as moedas que jogaram para os peixes

Não tenho como lhes arrancar a dor

Da constrição

As pessoas passavam para lá e para cá

Na procura de alimento

Naquele lugar grande.


Conheça o e-book
Flores cantam Poesias:
fotografias e poemas


Esta obra está licenciada com uma Licença
Creative Commons Atribuição Não Comercial Compartilha Igual 4.0 Internacional