Nascimento de um medo.

Não lembro seu nome

Não lembro seu rosto

Lembro dos seus arranhões

Não sei se você ficava comigo só quando você bem queria

Eu ainda era crianca para me apegar nessas pequenices

Não lembro sua cor

Mas ainda sinto na pele o toque dos seus carinhos

Foi horrendo quando meu pai

Desceu com você todo esturricado

Lá de cima do telhado

Seu sumiço fedeu para sempre 

Nunca mais consegui chegar 

Perto de outro gato


Baseado em fatos reais😂 morro de medo de gato. Hoje nem tanto, já entro no mesmo ambiente que eles. Antes não, eu ficava arrepiada quando via um, se vinha para meu lado eu corria.  Lembrava do meu bichinho de estimação todo seco, do meu pai descendo silenciosamente do telhado no escuro da noite, e eu criança curiosa espiando👀

Sugiro também que leia essa poesia ⬇️ que fiz na adolescência sobre gato, mas na ocasião eu falava sobre paixão:

Gato Preto

Abraços 🙋🏽‍♀️

Um dia –  Poetrix*

Gato visto da janela.

O gato olhando meu jardim

Eu olhando o gato

Da janela da cozinha

* Poetrixpoemeto contemporâneo criado pelo poeta baiano Goulart Gomes, no final da década de 90. É constituído com no máximo 30 (trinta) sílabas métricas distribuídas em 03 (três) versos (terceto); dissidente dos haikais, de origem japonesa. … “O poetrix é a forma brasileira de compor tercetos”. 
(Fonte: site do Dicionário Informal).


Obrigada Tiel Fajardo por me ajudar arrumar nome aos pequenos versos🙋🏽‍♀️