Abraço eterno

A despedida

Foi assim

Feita entre corações

Não precisou de palavras

Nem tinha pretenções

Ambos sabiam

Era o fim

Não da ligação eterna

Apenas das intenções

Assim são os desígnios

Do destino

Vida e morte

Encontros e separações

Adeus meu amor

Enxuga essa água

Da piscina

Que emana

De seu âmago

Nadarei

Nadarei

Nada

🏵 As fotos que contém a marca d’água do blog foram por mim clicadas. O verso é da música Vento no Litoral de Legião Urbana.

🏵🏵Lembrando que o “Flores cantam Poesias: fotografias e poemas”, ebook, continua lá na Amazon. Cuidado porque nele foi colocado alto grau de sensibilidade e toques de dedicação.

Compre aqui


Cristileine Leão

FacebookInstagramYouTube

Siga-me nas redes sociais


Esta obra está licenciada com uma Licença
Creative Commons Atribuição Não Comercial Compartilha Igual 4.0 Internacional

Caduca sabedoria.

Tudo ficou amarelo

E foi mudando de tom

Laranja, vermelho, marrom

Chão 

Caduca sabedoria

Das folhas

Que todo ano trazem 

Memórias inesquecíveis 

Do outono vivo.

Lentamente se vão 

Ao vento, ao tempo

Desfaz no chão 

Adeus dourado

Árvore nua.

Que venha o frio

Recolhimento 

A formar brotos

Das árvores da vida

Sustentada na raiz

Das estações .

Estações que brincam de morto/vivo

Nesse sempre gira/gira

Que ensina que

Bom mesmo é brincar

Com o tempo.

Ache o esquilo.