Depressão com Poesia

Entre o castelo e a haste

Quem sabe um dia eu adquira coragem para apresentar Frankfurt das maneiras abaixo. Quando passo por esses caminhos mostrados nesses vídeos, conheço mais da história, cultura e descubro novos cantos, sempre me dá uma vontade imensa de dividir com todos que conheço.

Por enquanto sou toda textual, tenho mais facilidade com a escrita do que com a fala, gestos, desenhos, ou qualquer outro tipo de comunicação. Mas, como diz minha psicóloga, preciso arrumar maneiras de sair desse meu castelo de gelo. Sim, ela já me comparou com a Elza do filme Frozen, risos. Será por isso que vim parar nessa terra gelada?

Já comecei fazer o movimento para fora, esse blogue é uma prova disso, antigamente jamais me expunha dessa forma. Muitas vezes me questiono para quê de tudo isso, algumas vezes acho resposta, outras não…

O importante é que estou fazendo o que gosto, escrevendo, pesquisando, compartilhando conhecimentos. Não quero voltar a ser operacional como antes, realizando todas as demandas da vida irrefletidamente. Mas, também não dá para ficar só no mundo da imaginação, pensando e buscando incessantemente sem viver o real.

Equilíbrio, equilíbrio, essa haste floral que suporta inflorescência até sem folhas.

Equilíbrio preciso do seu suporte no desfolhar da aurora.


Agora vamos ao vídeos, no primeiro você terá uma visão diurna e terrestre, no segundo uma visão noturna e aérea.

Muitos consideraram Frankfurt como São Paulo, ou seja, lugar para trabalhar e estudar muito, pois, é o centro financeiro da Europa.

Tenho a dizer que adoro Frankfurt e sou muito grata por estar aqui.

Boa semana pessoal 🙋🏽‍♀️

Vídeo 1) vlog viagem na Europa – O que fazer em Frankfurt, Alemanha, de Emilim Schmitz, publicado no YouTube em 05/10/2019.

Dia Nacional do Livro Infantil, dicas de livros brasileiros para crianças

Dia Nacional do Livro Infantil – 18 de abril – essa data foi escolhida por ser o dia que nasceu o escritor Monteiro Lobato.

Mesmo que muitas crianças não tivesse acesso aos seus livros na infância, como eu, invariavelmente foi tocado por suas obras atráves da TV nos programas do Sítio do Picapau Amarelo ooo. Visconde de Sabugosa, Cuca, Tia Nastácia, Saci Pererê e demais personagens redigidos ou revividos por Monteiro Lobato.

De lá para cá a literatura infantil brasileira evoluiu muito e é reconhecida internacionalmente atráves do Prêmio Internacional Hans Christian Andersen, que é como o Nobel da literatura infantil.

O Brasil já recebeu esse prêmio três vezes: pelas escritoras Ana Maria Machado (2000) e Lygia Bojunga (1989) e com o ilustrador Roger Mello (2014).

Sem falar que temos excelentes escritores que também são ilustradores (que tudo!) como Ziraldo e Eva Furnari. Ainda destaco a importância para a popularização da leitura infantil que vem sendo os gibis da Turma da Mônica, de Maurício de Souza.

Pesquisando mais sobre esse mundo para escrever meus livros infantis, percebi o tanto esse mundo é repleto de vida pulsante.

Ler um livro infantil nos remete ao mundo da imaginação, torna os dias mais leves e criativos. Ler para uma criança é dar-lhe a oportunidade de escrever seus próprios fins e afins.