O que é vida real?

Dessa vez protelei para contar a última consulta ao psquiatra, mas vamos lá.

Desde quando voltei do Brasil para a Alemanha os dias não estão sendo fluidos, atribuo ao clima que nada ajuda. Querido sol como você me faz falta. Essa mistura de saudade, escuridão e desesperança, fez a depressão mostrar suas garras mesmo eu estando medicada.

Só que dessa vez o efeito foi ao contrário, antes eu tinha insônia, agora comecei a dormir demais. Tiveram dias que eu dormi 20h seguidas, não sentia fome, não tomava banho, não escutava as crianças bagunçando, faltei da aula de alemão.

Acordava com a sensação muito boa de não estar vivendo aqui. Depois da segunda vez que isso me aconteceu, liguei o sinal de alerta no máximo.

Primeiro conversei com a psicóloga, foi um debate muito duro porque ela me disse que teria que estabelecer uma tabela com horários de rotina, onde os exercícios e os estudos fossem a prioridade, e que o blog fosse uma atividade esporádica. Que preciso ter mais contato com pessoas na vida real e coisa e tal. Que a movimentação e socialização são os caminhos para abandonar a depressão.

Concordei em partes, na verdade fiquei furiosa e vocês imaginam com qual parte do discurso né. Amo fazer o blog e acho que ele me faz muito bem. Já gastei muito tempo da minha vida com o relógio, a rotina, e à servidão do mundo moderno. Penso que agora posso relaxar e escrever, escrever, até eu virar as próprias linhas… não deu. O *relógio circadiano despertou o alarme e minha vida começou a virar uma confusão.

Então, aí parei e refleti, eu quem estou indo até à psicóloga semanalmente para ela dividir comigo todo seu conhecimento para quê tanta revolta Cristileine?

Ela me perguntou como tinha sido a visita ao Brasil. Disse que foi maravilhosa, mas que ainda assim tinham dias que eu deixava o pessoal conversando e ia dormir. Normalmente acordava às 11h e metade do dia já tinha ido. Que lá tinha gente e falação o dia todo e que estranhava isso.

Aí, ela falou, percebe que você está deixando a depressão entrar pela porta da frente? Assustei, não tinha percebido.

Nessa mesma semana retornei ao psquiatra, expliquei o acontecido. E mais, que engordei dez quilos, ohhh, isso mesmo dez, desde quando comecei o tratamento (final de março do ano passado). Assustei, não tinha percebido, outra vez.

Lembram desse post sobre os efeitos colaterais dos antidepressivos que são engordar e redução da libido? Desses dez quilos, cinco atribuo ao antidepressivo e os outros cinco aos pastéis do Brasil. Delícia! Quanto à libido, than than than thann, só meu marido pode falar, suspense no ar.

Então, na consulta psiquiátrica de repente eu começei a chorar, dizendo que gostaria de ter mais ligação com a vida, mas não consigo encontrar, que tenho todos os motivos possíveis de gratidão e que ainda assim me sinto deslocada aqui na Terra, me sinto culpada por ser assim.

Quando falei isso ele achou que eu acreditava em vidas passadas, risos, deve ser o meu inglês macarrônico. Ele perguntou se eu ouvia vozes, disse que não. Fez uns outros testes de equilíbrio corporal. Perguntou se essa tristeza eu atribuía à depressão ou se sempre fui assim. Respondi a segunda alternativa, aí veio a frase que não sai da minha cabeça:

“Pernonalidade a gente não muda, a gente aprimora”.

“Estou tratando sua doença e os efeitos que ela faz, mas o esforço para elaborar sua personalidade em algo positivo depende de você.”

Pronto, a batata quente está nas minhas mãos.

  • Okay doutor.

– O que tenho para te propor é entrar com outro antidepressivo à base de dopamina que lhe dará mais energia e concentração. Você aceita?

– Claro.

Fui embora do consultório triste porque achava que logo entraria no *desmame e sai com outra prescrição, agora tomo dois antidepressivos.

Pessoal, esse texto já está ficando longo demais, amanhã volto contando as atitudes que tomei, depois desses ocorridos, nesse caminho de encontro ao prazer de viver.

Afinal, vocês sabem me dizer o que é a vida real?


*Relógio Circadiano = processos biológicos que ocorrem regularmente em nosso corpo no período de 24h vigília, sono, concentração, produção de melatonina, cortisol e outros hormônios).

*Desmame = redução da dose de antidepressivo gradativamente até zerar.

Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição 4.0 Internacional.