Aromática união

Depressão com poesia

Acendiam incensos aos céus

Para contemplar a imensidão

Para trazer ao entorno

O que diziam as estrelas

Os o.dores se desfizeram

A essência não

Assim seguiam com o ritual

De lua em lua

Em cada olhar

De mãe e filho

Desde a amamentação

Até a separação

Assim acendiam

Naquilo que queima

Ao mesmo tempo que perfuma

Profunda.mente

Assim seguiam

Unidos no líquido amniótico

Aromático da Terra.



e-books por Cristileine Leão


Flores cantam Poesias: fotografias e poemas

para apreciar a beleza

Continue lendo “Aromática união”

Decifrar o outro – Rememorando.

Rememorando: Mãe nunca acaba, escolhi esse texto para relembrar hoje por dois motivos, um pela proximidade do dia das mães, outro porque mãe é realmente algo inexplicável, um mistério vindo do berço sem decodificação. Cada uma é de um jeito, e todas marcam nossa história para sempre.

Aos leitores antigos aviso que fiz algumas modificações no texto para fluir melhor. Achei o original um pouco sentimental e moralista, o que não quer dizer que esse não está. Risos. Uma vez que parto do princípio de quem tem uma mãe suficientemente boa*, então só posso opinar desse ponto de vista.

Sei que para alguns este é um assunto delicado, mas como acho que mãe nunca acaba, quis fazer essa homenagem e dar uns pitacos.

  • Dica: procure o conceito “Mãe suficientemente boa” de Winnicot. Gosto muito de ouvir o psicólogo Ivan Capelatto falar desse assunto no YouTube.

Abraços à todos🙋🏽‍♀️

Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição 4.0 Internacional