Folhas de luz

Folhas decíduas

Que caem sem parar

Quase me matam

De tanto sonhar

Num beijo molhado de luz

Sela o nosso amor

Enquanto há plantas assim

Brota a gratidão

Oh! Dádiva bonita ao léu

Ao nosso favor.


O verso está parafraseando a música “Chuva de Prata”, música na voz de Gal Costa, composição de Ed Wilso, sucesso nos anos 80.

Diante da chuva de ouro no outono alemão. Um mergulho no êxtase que dura poucos minutos e vale para a eternidade.

Está aí, talvez a vida seja melhor regada por esses “momentos” de beleza, que podem estar na porta de casa, esperando ser tocados por olhares dos passantes.

E há quem defenda o desMATAmento…

🎶 Toda a vez que o amor disser vem comigo
Vai sem medo de se arrepender
Você deve acreditar no que é lindo
Pode ir fundo isso é que é viver 🎶

Continue lendo “Folhas de luz”

O último grão

Assim

Por um fio

Entre o céu e a terra

Às vezes

O último a cair/

Esperando brotar

Esperando brotar

Esperando brotar/

Espera aí/

Ando

Pisando

Nas folhas secas/

Enquanto olho

O clarão

Entre os galhos

Secos/

Que também esperam

Brotar/

Respiro.

Leia também: No fio e Por um fio


Flores cantam Poesias
conheçam o ebook aqui


Esta obra está licenciada com uma Licença
Creative Commons Atribuição Não Comercial Compartilha Igual 4.0 Internacional

Árvores são supremas.

Tenho um quê com árvores que não sei bem da onde vêm, mas tenho aprendido que não é tudo que tem explicação. 

Na última visita da sogra nas bandas de cá, pedi que trouxesse revistas. Entre elas veio a Bons Fluídos edição de agosto desse ano. Quando olhei pensei iii mais uma revista de mulherzinha, de auto-ajuda ou qualquer coisa assim. Ledo engano. 

A primeira reportagem que li foi essa “A Linguagem da Floresta” com a entrevista de um engenheiro florestal aqui da Alemanha, que publicou o livro “A Vida Secreta das Árvores” (editora Sextante).  Ele afirma que as árvores têm sentimentos, cuidam uma das outras e conversam entre si. Enfim, alguém colocou em palavras meus pensamentos.

“A exemplo das árvores, devemos sempre apoiar os mais fracos, os mais pobres e as pessoas mais velhas”. Peter Wohlleben.

Vira e mexe falo da floresta para vocês aqui no blog. Felizmente na atual Alemanha, aa florestas são preservadas, bem sinalizadas e fazem parte do cotidiano do povo. 

Mesmo em extrema temperatura dá para se ver gente caminhando ou pedalando por lá; deslizando ou construindo bonecos de neve com as crianças. No verão é uma festa de gente e passarinho… 

Agora entendo o porquê há tantas estórias infantis alemãs nos caminhos da floresta.

Para mim, especialmente quando eu estava bem ruim da depressão, as árvores da floresta me impulsionaram a respirar e ouvir melhor. Entrar lá, sozinha, com seus medos, e sair leve. 

Perceber que sim, elas vivem em comunidade conforme ressaltou esse engenheiro florestal na reportagem. Que sim elas fazem de tudo para sobreviver e se proteger. Que sim podemos ter boa convivência e respeito à natureza. Tudo isso é motivo de gratidão e respeito. 

Mas, escrevo tudo isso para dizer que é muito mais do que imaginamos – as árvores são muito mais do que podemos pensar e sentir. Árvores são supremas. 

Para tentar traduzir melhor meu sentimento, vou compartilhar a impressionante descrição do que representa uma árvore feita pelo blog Fluxos e Cortes nesse belíssimo post  A Alquimia das Árvores

Ficarei imensa grata se vocês me disserem o que as árvores representam para vocês.

Abraços de puro respirar.

Nós, platéia da natureza – minicontos*

A natureza 

fez um buquê 

Só para você. 

Fez uma  cabana

Doce cama na grama

Braços abertos conforta.

Pássaros cantam

Sombras encantam

Outono revela mudanças.

Chore ou ria nova estação cintila

Folhas caem da sombra que vai 

Chorão frondoso volta ano que vem.


  • Por sugestão, trocarei a denominação Haikai por Miniconto. 

Motivo: o Haikai exige métrica e evita rimas. Sendo assim, fica difícil para eu trabalhar os versos, pois, minha mente rima sozinha e não tenho a mínima disciplina para métricas 😂

Obrigada pela atenção. Até mais ⚘