Seu chão

De estático nada tem o tempo
Molda corpos
Revela pensamentos
Fermenta crescimento

À cada semente lançada
Um dom
Para quem quiser cultivar

Ervas daninhas
Lírios
Jaboticabas
Bebês

O tempo estica tudo
Pedindo resistência
Nos dias estilingues

Foram lançados no universo
Não para matar passarinhos
Nem para ficarem em gaiolas

Evoluíram os brinquedos
Evoluíram com os sentIDOs
Evoluíram os seres vivos

No agora
A aurora
Resta honrar
O seu chão.

Esta obra está licenciada com uma Licença
Creative Commons Atribuição Não Comercial Compartilha Igual 4.0 Internacional

5 comentários

Diga-me a sua opinião?