Depressão com Poesia

Quem nada na filosofia?

Quadro negro escrito a giz, yes, no, igual à life.

Nessa última quinta-feira, 15 de novembro, foi o Dia Mundial da Filosofia.

Instituído pela UNESCO desde 2005, esse dia tem com o objetivo de desenvolver o pensamento crítico e a capacidade de refletir para que se haja sociedades livres e plurais.

A filosofia é um saber abrangente que estuda os grandes temas da humanidade. É uma das primeiras disciplinas a serem banidas do currículo escolar nos governos ditatoriais.

Embora muitos pensem que a filosofia é abstrata, difícil e ideológica, quem entra a fundo nas suas investigações procuram elaborar conceitos lógicos e racionais para o desenvolvimento humano.

O profissional bacharelado dessa área pode trabalhar em consultorias empresariais, crítico de arte, produzir e editar textos reflexivos, assessoria política, conduzir palestras e debates, atuar na filosofia clínica (atendimento terapêutico), etc.

Ainda assim, quem não sabe nadar e quer fica na superfície recebem muitos benefícios do banho filosófico. Até mesmo aqueles que nem entram na água, mas ficam ali na borda apreciando o fluxo do filosofar são beneficiados. Não que ela seja uma água santa, ela é o movimento no ser.

Apesar deu ter licenciatura em Filosofia, ou seja, posso ser professora no Ensino médio, não sei muito sobre esse assunto. Sei apenas o suficiente para saber da importância da ética e da beleza na sociedade.

Quem tem acesso e se predispõe a entender esse tipo de informação, agrega em si novas visões do que é valor e do que é o poder de escolha.

Aristóteles dividiu o conhecimento humano em três divisões. (Imagem Wikipédia)

Acredito que o ser humano começa a se transformar quando dá abertura para pensar e debater assuntos que não são só os seus “velhos conhecidos”. Quando saí da zona de conforto e se depara com o outro e reconhece que tudo faz parte do todo.

Assim, percebe as dualidades, mas, não deixa que tais diferenças prejudiquem o contexto maior – a existência humana.

Imagine um pilar, sua função é segurar os esforços diagonais e transferi-los para fundação. Sem fazer os cálculos estruturais, sem pensar, não há como saber se a altura do pilar suportará o peso da fraca fundação…

Por fim, para produzirem seu próprio pensar, quero dividir com vocês essa reportagem que diz que a

filosofia pode ser a profissão do futuro, do caderno Emprego e Carreiras, de UOL Economia.

Os filósofos ajudariam na programação de máquinas inteligentes, principalmente aquelas que, no futuro, precisem lidar com “dilemas morais“.

Yuval Noah Harari, historiador, autor do best-seller autor do livro Sapiens – Uma Breve História da Humanidade.

Também sugiro essa palestra do Canal Nova Acrópole, com o professor Luis Carlos Marques Fonseca. O vídeo têm duração de uma hora, quem não tiver tempo ou paciência para escutar, sugiro que escutem ao menos os 5 últimos minutos.

Um mergulho na filosofia aprimora o respirar.

Boa semana que se aproxima,

Cristileine Leão🙋🏽‍♀️

Por que devemos acreditar na humanidade?

Este trabalho está licenciado uma Licença

Creative Commons

Atribuição 4.0 Internacional

21 thoughts on “Quem nada na filosofia?

  1. Por ajudar a entender a vida e seus pormenores, é que querem “dilui-lá”
    no ensino médio além de uma carga horária ínfima.
    Post profundo…

  2. Apesar de na minha casa de solteira ter livros de filosofia, só vim realmente conhecê-la já na faculdade e fazendo engenharia. Eu só tirava a nota máxima. Modéstia a parte, eu conseguia fazer belas provas.rsrs Os meus colegas vinham ter comigo e perguntar como eu podia gostar “daquilo”.
    Nunca mais li sobre o assunto, mas sinto que tornei-me uma pessoa mais atenta e crítica.
    Eu não sabia do dia seu dia. Fui pesquisar a pouco e vi que a data varia no mês de novembro.

  3. Oi Darlan, estava passando por digamos dias inflamados… Seus comentários constantemente me levam à pesquisar e ampliar o conhecimento. Obrigada.

  4. Oi ML, não sabia da variação do dia, que bom que nos disse. O que importa mesmo é levar esse debate ao contexto social.
    Olha, eu já não posso falar o mesmo das minhas matérias de exatas como economia por exemplo😬
    Boa semana!

  5. Não somente a filosofia, mas como todas as matérias de humanas em geral. Eu como historiador sei o quanto é prejudicial isso. É um plano para criar operadores e não livres pensadores.

  6. Todos que já se aventuraram a trabalhar diretamente com filosofia no Ensino Médio ou Fundamental, ou mesmo,a abordá-la transversalmente, sabe que ela provoca ao mesmo tempo um misto de perplexidade com admiração e temor… é uma caraga horária ínfima, em geral com muitas turmas, que mal dá para o professor se preparar adequadamente… eu faço isto há 17 anos e sei o tamanho do desafio… mas, continuo a remar por estas águas… mesmo que não consiga saí da superfície…

  7. Resumiu bem…
    a área de humanas me encanta, confesso que agora leio bem mais à respeito, no ensino público esse não era o foco quando eu era estudante, parece que hoje também não. Formam legiões de operários, depois dizem “vamos automatizar”.

  8. Da história também não, ela não é só datas, é um apanhado de nosso desenvolvimento e retrocesso que pode nos fazer compreender o tempo e o espaço.

  9. Por fazer alguém emergir nessas águas é um ganho imenso. Imagino que já fez muitos. Parabéns e gratidão!
    Mas, bem sei da condição dos professores, quase uma missão mais por devoção do que por dinheiro, mas, precisamos dos dois na mesma medida… Há desigualdades inexplicáveis.

  10. Apenas para você ter uma ideia… nem falo da escola pública em que trabalho. Falo da particular que é uma escola de excelência, para níveis brasileiros. Por semana são: 5 aulas de matemática. 4 de física. 4 de Química e 1 de filosofia… a disparidade é astronômica…

  11. Inclusive a filosofia que se trabalha tem vistas ao ENEM, senão, sequer colocariam esta aula semanal… com o próximo governo querendo cercear a escola, a coisa pode piorar…

  12. amiga, aqui no centro do rio de janeiro temos um não grego. porem 100% pitagórico. ( eduardo… não o conheço. mas é o retrato do filosofo de rua )

  13. a luta do engessamento do celebro. (plano 2 ) bitolancia… é continua, imensuravelmente… triste realidade! meu mundo não me cabe…

Diga-me a sua opinião?

%d blogueiros gostam disto: