Depressão com Poesia

Quando nasce um botão

Essa fofura é meu sobrinho, digo que a distância é imensurável… uns falam que é a saudade, mas a saudade você pode aplacar na presença; já na distância você fica a acumular as perdas de acompanhar o desenvolvimento. Nesse Natal não vou para o Brasil, mas meus pensamentos estão lá todos os dias…

Achei essa foto tão expressiva, de alguém que está chegando na vida. Dizem que ele é muito dorminhoco. Falei para a minha irmã que ele pensa que ainda está na barriga.

Sem mais delongas, hoje quero dividir com vocês uma historinha que fiz para a minha sobrinha que estava corroendo de ciúmes e apreensiva com o novo papel de irmã mais velha.

Fiquem à vontade para dividi-lá caso conheçam alguém que passe pela mesma situação.

Abraços cristalinos 🙋🏽‍♀️ Cris.


Quando nasce um botão

Manuela tinha um jardim bem florido. Todos diziam que era o jardim mais lindo da vizinhança, por isso cada dia mais e mais Manuela gostava de brincar e cuidar das plantinhas dos seu jardim.

Num cantinho, Manuela tinha um girassol gigante que iluminava todos com seu amarelo contagiante.

Também tinha uma flor lilás com as folhas bem espetadas que a mamãe chamava de Iris. Será que por causa do arco-íris?

Muitas margaridas viviam por lá, com elas Manuela brincava de bem me quer, mal me quer.

Além da beleza das flores, morava no jardim de Manuela uma bicharada sem fim: formiguinhas, joaninhas, borboletas, beija-flor e até papagaios apareciam no jardim encantado da Manoela.

Tudo ia muito bem, mas ninguém percebeu que caiu uma semente diferente no jardim da Manuela.

Como ela era uma menina muito ocupada com lição da escola e brincadeiras, podia sempre contar com a ajuda dos seus pais para cuidar do jardim.

A semente foi crescendo e crescendo.

Então, Manuela percebeu que tinha algo estranho no seu jardim, ela não conseguia saber o nome daquela plantinha e nem o que ela ia ser.

– Será um cravo Será uma rosa ou um matagal?

Aquela dúvida foi deixando Manuela muito mal:

– E se não gostarem mais do meu jardim? E se não gostarem mais de mim?

O girassol, a flor de íris, as margaridas e os bichinhos de jardim ficaram sem graça e sem cor dentro do coração da Manuela.

Ainda assim, papai e mamãe cuidavam do jardim todos os dias porque sabiam que ele fazia parte da felicidade da filha.

Um tirava tudo o que era ruim como as ervas daninhas, os pulgões e o coco de cachorro que algum mal-educado deixava por lá. O outro regava as flores, cantava e distribuía amores.

O jardim sentia e respondia com cor e alegria.

Certo dia, Manuela acordou mais cedo que todo mundo, estava frio e nublado. Ainda assim, ela resolveu ir no jardim respirar ar fresco.

Quando chegou lá uma surpresa, a semente virou gente, correu e lhe deu um abraço muito quente.

Manuela fechou os olhos e sentiu perfume, maciez, carinho. Agora ela já não se sentia sozinha, tinha alguém bem ali no seu quintal para brincar.

  • Manuela quando seus pais acordarem á não serei mais essa planta, vou me transformar num botão, quero crescer no seu jardim porque te amei desde quando cai nessa terra. Vou crescer com você. Pode ser?

– Entra já para casa menina, vai ficar resfriada, falou a mamãe sem entender todo o calor que Manuela sentia.

4 thoughts on “Quando nasce um botão

  1. Que lindo! Muita saúde ao novo membro da família! abraço carinhoso

Diga-me a sua opinião?

%d blogueiros gostam disto: