Depressão com Poesia

Oração subordinada.

Assim sento e coloco acento no lugar errado, nem sempre sei pontuar.

Sento num banquinho rústico, no macio da poltrona de veludo, nas indecisões.

Preciso descansar.

Escrevo, traduzo o mundo como ele é para mim, escrevo, escrevo, mas meus olhos são pequenos diante do infinito.

A multidão de palavras me atropela,
me põe sentada por horas, nela vejo passar a criação e a dúvida.

Sento e nem sempre entendo o conceito da decisão tomada.

Como muitas vezes, ninguém entende minha linguagem, ando sem concordância.

Preciso ser objetiva.

Adjetivo demais.

Nessa vida que demanda racionalidade, somos orações subordinadas.

Escuto os ditados prontos e os hinos de calmaria, devaneios como os meus. Todos nós na pré posição.

Sou consumida, letra por letra, porque não sei resumir.

Preciso aprender conjugar.

Um pouco mais de verbo aqui, negrito para reforçar, rabisco o que não foi dito, arrumo aqui e acolá.

Será que tem travessão?

Preciso desencanar.

Já o caso do uso dos porques, ah esse, nunca soube consertar.

Sento, espero, observo, traduzo tudo no papel que será desgastado com o tempo, sumirá.

Ouço sim o concerto do vento.

Sinto o tempo na ponta da caneta dos pensamentos, sento em contemplação.

Será a caneta de pena e o tinteiro de sangue?

Penso pra quê viver 100?

Viver sem saber rimar?

O que mais queremos é o:

assinado amor.

Preciso aprender concordar.

Levanto, quero ir embora daqui.

Muita gramática para decorar.

Este trabalho está licenciado com uma Licença

Creative Commons –

Atribuição 4.0 Internacional

11 thoughts on “Oração subordinada.

  1. Lindo✍️❤️Nunca me atrevi a usar essa caneta. Tenho pena das crianças que tinham medo da matéria, do professor, dos pais e de sujar tudo com ela.🌷😘

  2. “Nessa vida que demanda racionalidade, somos orações subordinadas.”
    É por isso que sou bem “agramática” rsrs (apesar de ser prof.ª de português)

  3. Agramatical 🤔, não fique me dando ideia rss. Tenho daquelas relações de amor e ódio com o português. Gosto, mas não tive uma base forte então sempre apanho. Aí vem a voz nunca é tarde, de fato, quando não se há muitas demandas. Agora tendo que aprender o inglês e o alemão no mesmo tempo, estou retomando essa ligação, e percebendo o quanto a linguagem nos influencia. Abraços. 🙋🏽‍♀️

  4. “Como muitas vezes, ninguém entende minha linguagem, ando sem concordância.
    Preciso ser objetiva.
    Adjetivo demais.”

    Que lindo, Cris! Ando sem concordância, muitas e seguidas vezes 🙂 Beijos.

  5. Toda red(ação) é assim. O negócio é tentar relaxar e deixar que a banca examinadora faça o serviço dela, rsss, estamos fazendo o nosso. 😘🙋🏽‍♀️

  6. Na gramática sempre tirei 0,00, por isso, me arrisco na literatura, sobretudo, na liberdade po-ética, para não ficar 100 nota…

  7. Gratidão⚘ somos palavras e elas precisam sair de alguma forma. Agora vou ter menos medo das professoras de português rssss, abraços e bom fim de semana.

Diga-me a sua opinião?

%d blogueiros gostam disto: