Depressão com Poesia

Offs da depressão

Ouça, elas cantam poesias.

Quando comecei o tratamento para a depressão e especialmente depois do blog, muitas pessoas conhecidas se achegaram para abrir o coração.

Fiquei surpresa com a quantidade de mensagens, umas pessoas eu já imaginava após pesquisar mais sobre os sintomas e comportamentos de um depressivo (isolamento, irritabilidade, negativismo, culpa, desconfiança, dores no corpo, insônia, queda de cabelo, desleixo com a aparência, deixar de fazer o que gosta, etc. )

Outras pessoas, nunca passavam por minha cabeça que tivessem algum transtorno do humor. As redes sociais, e a vida real, estão cheias deles: Depressivos sorridentes, fantasiosos, funcionais. Sem falar naqueles que sabem, mas não aceitam que tem depressão.

No fim de cada papo, o mesmo pedido:

“Por favor, não conte nada para ninguém.”

Tudo bem, não vou escrever sua parte da conversa, mas, vou pôr aqui as minhas respostas, sei que um ou outro há de se encontrar no meio delas.

Offs da depressão

– Que ótimo que a ela vai tomar o remédio de tiróide, o psquiatra me explicou que ela desregula o corpo e tem os mesmos sintomas da depressão.

– É assim mesmo, uns ficam down e outros eufóricos. Ele só me prescreveu antidepressivo só depois que viu que meu exame de tiróide estava ok.

– Outra coisa calmante e antidepressivo são diferentes, explica pra ela. O calmante serve para acalmar como o nome diz, o outro para repor hormônios que o corpo não está produzindo bem como a serotonina, adrenalina, dopamina…

– Calmante te deixa mais relaxado ou dependo da intensidade você pode até dormir. Antidepresivo pode tirar os sintomas da depressão com o tempo.
Mais ele requer tempo, é um tratamento. Se não aprender lidar com as causas, será tempo perdido.

– Não nem todas têm causas, pode ser genética, personalidade, ambiental. Aí é nisso que precisa mexer.

– Você fez bem falar com as suas irmãs, ela precisa de ajuda, se não vai pirar por não saber lidar com tudo isso que passa dentro do corpo e da mente, e ainda vai enlouquecer vocês.

– O desencontro dentro de si é o mesmo caso do drogado, do alcoólatra, do anoréxico, do obeso… Toda família sofre, muito triste.

– Ahhhh legal que estão gostando dos textos! por favor me avisem quando eu pegar pesado ou ser repetitiva. Tem coisas que a gente não vê em nós mesmos, só interagindo com os outros.

– Podem compartilhar se acharem necessário, perdi a vergonha , estou assumindo quem sou, fazendo os rumos da minha vida, escrevendo livremente que é o que gosto de fazer. Chega de me esconder, e se não sei falar direito com as pessoas, eu escrevo.

– Não é questão do que se tem ou se deixa de ter, é do que sente, das pedras que carrega; não é questão de ocupação, acho que tenho bastante.

– Também não gosto de me sentir assim estranha e busco melhorar.

– Um câncer é coisa séria, como também é sério não se conhecer, afastar-se de si e dos outros, adoecer por isso no corpo e na alma.

– Enfim, coisas da cuca. Vou melhorar, sei que vai voltar como sempre. O que quero saber é lidar com tudo isso, e tirar o melhor de tudo isso.

– kkkkkk pare com isso, antes de eu ser depressiva, sou gente, erro todos os dias, não sou perfeita, não sou modelo, mas também não sou o lixo que achava ser.

Deito e penso:

Por que as pessoas escondem suas fragilidades e seus poemas?

Poema de Rubem Alves

O que vai acordar é o que chamar…


Flores cantam Poesias
conheçam meu ebook aqui


Esta obra está licenciada com uma Licença
Creative Commons Atribuição Não Comercial Compartilha Igual 4.0 Internacional

9 thoughts on “Offs da depressão

  1. Cristileine, que trabalho bonito fica o seu depois dos pontos de bordado que vai deixando nos panos, um a um. Bonito bordado esse seu.

  2. A opinião dos outros tem um peso …ainda…ninguém quer ser jugado… tachado…rotulado…excluído…as pessoas passam a vida toda buscando aprovação e aceitação…

  3. Infelizmente as pessoas escondem porque é tabu e são vistas como fracas e ninguém gosta de mostrar vulnerabilidade, porque a maior parte não entende.

  4. A história do “descobrimento” do Brasil me põe pra baixo.

    Imagino as pessoas (indígenas) que foram escravizadas, manipuladas, torturadas, dogmatizadas… imagino quantos deles sofreram. Os negros, os gays, sofremos muito na nossa existência… Sofrimentos ancestrais que permeiam até hoje.

    Pense nisso.
    Juntxs podemos evoluir. Juntas e juntos. Juntxs!

  5. Numa sociedade competitiva demonstrar fragilidade é estar fora do jogo… publicar poemas é revelar a alma e alma não é bem a ‘alma’ do negócio da competição…

Diga-me a sua opinião?

%d blogueiros gostam disto: