Depressão com Poesia

O amor

Mal sabem as serpentes da Terra

Que as estrelas do céu nos guardam

Que nosso brilho juntos

Ofusca toda ofensa

E que crenças

Se quebram com o tempo

Ah amor!

Querido amor!

És o compósito de todas as almas

Das perturbadas

Das petulantes

Das preciosas

Sem distinção

O amor não escolhe braços

Está estendido

Além dos encalços da criação

Na espera do momento de se manifestar

Na certeza de que terá um lugar de acolhimento

Nem que seja apenas por um segundo

Vale ser plena

Uma vez que

O amor sem fronteiras

Movimenta o mundo.

8 thoughts on “O amor

  1. O amor está na chuva, no verão e em todas as estações. É às dez da manhã, às doze da noite e a cada hora de vida. O mundo está girando em torno dele e seu poema gira com os versos que tornam sua poesia a razão de sua magnífica inspiração. É muito bom ler seus poemas. Eu gosto disso.

  2. Essas interações poéticas complementam meu dia e pacificam quando o anoitecer insiste em durar mais que o necessário… Realmente foi um prazer conhecer sua sensibilidade, sua escrita e receber seus comentários. Abraços fraternos.

  3. Esta é a parte interessante da poesia. Ele nos une quando o espírito precisa respirar e quando o relógio não quer consumir as horas. Um grande abraço.

Diga-me a sua opinião?

%d blogueiros gostam disto: