Depressão com Poesia

O amor bate

O amor é como a glândula timo

Vital e por vezes esquecido

Te estimo

É diferente de te domino

Tudo o que é

Tem seu lugar

Dois corpos não ocupam o mesmo lugar no espaço

Ainda assim

Eles podem se juntar

Para alcançar o paraíso terrestre

Quando teremos gosto em viver?

Santos sabem escutar

E atender os pedidos dos que sabem clamar

Mas tu tens andado tão calado, tão cansado e desconfiado…

Onde mora a sabedoria?

Te amo é diferente de te sigo

Porque a substância do amor é doar

Doa o que doer

O amor vai aconTEcer

Quem mora no meio do teu ser?

As glândulas secretam segredos

Que preservam a vida e definem a história

No meio do peito de cada um de nós

O amor bate.


O amor muda de tamanho conforme as fases da vida

Nessa quarentena estou me aprofundando nos estudos de Reiki, um dos ensinamentos é sobre a importância das glândulas. Fica uma dica que aprendi para estimular a imunidade: dar leves batidas com as pontas dos dedos em cima da timo e mentalizar a cor verde e a saúde, vitalidade, esperança que esta cor representa. Essa é apenas mais uma entre tantas formas que temos de buscar proteção. Se cuidem.

9 thoughts on “O amor bate

  1. LIndo texto sobre o Amor, obrigada querida Cris, sua sensibilidade, carinho com as palavras aquece e alegra o coracao. Feliz dia das Maes!

Diga-me a sua opinião?

%d blogueiros gostam disto: