Depressão com Poesia

Gratidão

Graças a gratidão

Desvendam dons

Jamais previstos

De graça é o sofrimento

Tal como é o acolhimento

Por graça seguimos o rumo

Até quando perdemos o prumo

Com graça é mais suave

Olhar ao céu além miragens

Sorrindo se espelha ao mundo

Dos sentimentos o mais profundo

A

gra.

ti.

dão

A Alemanha é um país com grande população idosa, os quais já passaram por períodos sombrios da história. Foram do nacionalismo extremo até o abre portas atual. Hoje quando se anda de trem, por exemplo, em cidades grandes como Frankfurt, é muito comum se escutar e ver pessoas das mais diversas nacionalidades. Com suas roupas e costumes diferentes, desde burcas, quipás e dreads, até aquelas camisas sociais masculinas, de manga curta, com estampas de flores, anunciando que estamos quase no verão. Uhuuu.

Hoje, no sobe e desce das escadarias do metrô vimos e participamos de atitudes de gentileza que me encheu o coração por estar viva.

Uma senhora levava o seu carrinho de compras (aqueles de rodinhas) e não conseguia o carregar nas escadas. Prontamente um jovem bem magrinho e aparentando passar por necessidades se prontificou. Ela quis lhe retribuir com moedas. Ele não aceitou. Percebi que ele não sabia falar alemão. Naquele momento nem precisava… Seguimos…

Eu e minha filha ficamos perdidas porque não conhecíamos aquela estação direito, demos uma volta e caímos no mesmo lugar. Quando de repente minha filha olha no chão e vê um buquê de rosas amarelas. “Mãe é dela, mãe é dela, eu vi estava no carrinho”. Pegamos o buquê e saímos correndo à procura daquela senhora pelas ruas da redondeza. Em vão… Voltamos e deixamos o buquê no mesmo lugar na esperança dela voltar e encontrá-lo.

“Mãe isso não é justo, ela deveria querer agradecer alguém com aquelas flores. Filha nós quem devemos agradecer por participar desse momento e ver como mesmo sendo estranhos (estrangeiros) podemos exercer a humanidade nos pequenos gestos.”

Agora estou torcendo para que as rosas amarelas jamais murchem e que as pessoas não vejam apenas miragens.



e-books por Cristileine Leão

As Pegadas do Jabuti

para crianças e para quem gosta de autoconhecimento


Flores cantam Poesias: fotografias e poemas

para apreciar a beleza

Esta obra está licenciada com uma Licença
Creative Commons Atribuição Não Comercial Compartilha Igual 4.0 Internacional

6 thoughts on “Gratidão

  1. Trabalhei durante a infância em uma xácara de rosas…de todas as cores… as amarelas das que conheci são as mais frágeis… duram pouco… não resistem ao sol e nem as chuvas.. nem ao frio nem ao calor… acho que depois deste texto devo escrever outro poema sobre rosas…

  2. São as minhas preferidas. Não sabia dessa informação, acrescentou muito. Quero ler seu poema sobre rosas. Bom fim de semana 🙋🏽‍♀️

Sua opinião agrega: comente aqui 🔄

%d blogueiros gostam disto: