Depressão com Poesia

Goteiras da existência

Goteiras

Como pode caber o oceano na esfera flutuante?

As águas profundas da vida humana é como a concha da Terra que abriga algas, tubarões e golfinhos. Areia, sal e plâncton. Sol, vento e lua. Fazem nossos dias no mar.

Como posso viver sem acalanto?

Há tantos desejos nessas águas cristalinas, elas vibram com a força dos passantes, elas refletem o tempo, elas reverenciam o fluxo das estações. Reverberam os fatos moldados pelos atos.

Como pede a pele por luz! O que nos conduz?

O barulho das ondas é um calmante, o rio faz ziguezague e a lagoa frisa com a brisa. Cacheadas vibrações nos cá belos dos que sabem ser ternos. Nas goteiras da existência

Como nadar sem molhar?

Rio Nidda em Frankfurt no bairro Rödelheim

10 thoughts on “Goteiras da existência

  1. É um alento ver um rio não canalizado… As canalizações de rios sempre me chamam a atenção para as canalizações interiores que insistimos em fazer mesmo que o interior não as aceitem…

  2. Lindo texto. Sim, As águas profundas da vida humana são como a concha da Terra que abriga algas …

  3. Também delas… Nossa experiência aqui em Minas não tem sido nada boa. Mas, também de nosso interior… Quantas vezes represado equivocadamente…

  4. Olá Cris. Que bacana, tens raízes nas Minas Gerais… Januária está situada no médio São Francisco, distante de Belo Horizonte um pouco mais de 600 Km. Não é à toa que Guimarães Rosa dizia que “Minas são muitas”. Boa semana. Paz e Bem!

Diga-me a sua opinião?

%d blogueiros gostam disto: