Depressão com Poesia

Faz-se nascer

Via lactea

Minha mãe

É mãe

Eu sou

Mãe

Minha filha

A vida

Além do imagina mãe

Para existirmos

Houve muita química

E caminhos

De amor e ódio

Fronteiras e celeiros

Que nos origina

E jamais termina

Enquanto houver amor

Ainda que torto

Ainda que tolo

Amor é amor

Antônimo de morto

Já o ódio se aliMENTado

Põe fim nas GERAções

Como o julgamento

Esse tormento que nos faz sentir melhor

Só por uma parcela de tempo

Tempo

Esse propulsor

Que tudo transFORMA

Já se decidirmos o contiLuar

E sem arestas disseminar

Belas ideias e seus ideais

No estrelado anis

Avançaremos no tônus e ônus

Dessa criação

Então

Perceberemos que

A esterelidade está na recusa

Da eternidade

Assim como essa se aPRESENTa

A eternidade é esse útero fecundo

Que sempre podemos voltar estar

A fascinação

Do faz-se nascer.

2 thoughts on “Faz-se nascer

Diga-me a sua opinião?

%d blogueiros gostam disto: