Depressão com Poesia

Depressão – o que estão falando por aí.

Em Pauta traz duas reportagens, uma escrita pelo jornalista Benedict Carrey para o jornal “The New York Times”. A outra uma série de vídeos apresentados durante toda essa semana (20 a 24 de novembro) no programa “Bem Estar” da TV Globo.

Como é bom saber que mais e mais a mídia está dando abertura para assuntos da saúde mental!

Isso também faz parte do caminho para combater o preconceito e incentivar o tratamento.

Vou deixar os links abaixo, bem como, dar o meu pitaco do que foi dito:

Quando iremos resolver as doenças mentais?

  • Versão original em inglês pelo

The New York Times

  • Versão em português pelo

Viver Bem UOL

O que achei mais interessante: Segundo o texto a depressão já foi traduzida como maldade de espírito, desequilíbrio de humor, fixação erótica, fraqueza do ego, anomalias do cérebro, etc. Mas, mesmo assim, estamos longe de entender os transtornos mentais. A boa novidade é que estão investindo bastante nesse setor.

Frases:

Com o tempo, os problemas mentais se tornaram em transtornos mentais, depois distúrbios cerebrais, talvez causados por algum defeito interno, por um “desequilíbrio químico” ou pelos genes.

Perceberam só quantos nomes a comunidade científica já arrumou para a depressão?

Agora estamos na fase de que ela é uma doença causada pelos desequilíbrio químico. Pelo menos é o dizem psquiatras e psicólogos.

A depressão não é uma doença, mas muitas, mostrando rostos diferentes em pessoas diferentes.

Gostei dessa observação!

A herança genética certamente tem sua importância, mas não chega a ser uma “causa”… O restante dos riscos vem com as experiências: a combinação confusa de traumas, uso de substâncias, perdas e crises de identidade… Milhões de indivíduos que desenvolvem uma doença mental incapacitante se recuperam por completo ou aprendem a gerenciar sua angústia…

Os estudos científicos mais as experiências pessoais dos pacientes juntos vão mais longe, ou seja, o estudo das doenças mentais serão mais efetivos estudando a parte fisiológica do cérebro e a vida/fala do paciente. Esse é praticamente o foco dessa reportagem que vale a pena ler.

Quando as pessoas têm a oportunidade de se engajar em conversas contínuas e profundas com outras que têm experiências semelhantes, suas vidas se transformam.

Agora, abaixo está o link da série de reportagens e os temas abordados:

Depressão precisamos falar sobre isso.

  1. Conheça as causas da doença que afeta milhões de brasileiros
  2. Qual a hora de usar remédio para a depressão? Eles viciam?
  3. Pessoas com depressão sofrem com dores no corpo
  4. Especialistas explicam a relação da insônia e da depressão
  5. Jovens falam como enfrentam a insônia
  6. Por que as mulheres têm mais depressão do que os homens?
  7. Estimulação elétrica e magnética ajudam no tratamento
  8. Depressão entre idosos quais os sinais
  9. Cetamina pode ajudar a combater a depressão
  10. Depressão na infância e na adolescência como reconhecer os sinais.

Frases que me tocou:

Depois de uma depressão a gente nunca mais é o mesmo”

Descobertas que tive:

  • A dor no corpo acontece porque a depressão é uma inflamação nas áreas do cérebro que quando não tratada vai para a corrente sanguínea. (🤔bem que eu dizia para a psicóloga que me sentia inflamada)
  • Alimentos para potencializar o tratamento: pó de guaraná, chimarrão, chá verde e preto, açafrão, aveia, sardinha, castanhas, chocolate amargo.(🧐olha o nosso guaraná aí outra vez)

Eu sei, foram muitas informações😬, deveria ter dividido em dois posts, mas não resisto, preciso dividir com vocês o que me amplia um pouco mais desse universo.

Bom fim de semana 🙋🏽‍♀️

Cris.

Este trabalho está licenciado uma Licença

Creative Commons

Atribuição 4.0 Internacional

20 thoughts on “Depressão – o que estão falando por aí.

  1. “Como é bom saber que mais e mais a mídia está dando abertura para assuntos da saúde mental!” RTZÃO, AMEI SABER QUE ESTE ASSUNTO TEM SIDO EXPLORADO!

  2. Saúde mental deve ser prioridade nesses tempos ruins. E como a depressão está tomando contas de muitos, sem mesmo perceberem, infelizmente. Ótimo assunto. 😉

  3. Oi, Cris!
    Bingo!
    Ótima abordagem. Sempre bom saber mais sobre esta doença.
    Admiro seu equilíbrio, sua coragem e sua inteligência.
    Grande abraço!
    😘

  4. Oi Cris ….“Depois de uma depressão a gente nunca mais é o mesmo”…………..será que existe a possibilidade de sermos MELHORES….depois disso?

  5. Itanamara, chega um ponto que já não tem mais como “tampar o sol com a peneira”. Esses tempos ruins afetam a esperança, e ela faz parte do alicerce da saúde mental. Bjs e bom fim de semana🙋🏽‍♀️

  6. Oie, acredito que sim, tenho me esforçado para isso. Com o tratamento você passa a conhecer mais da personalidade e tem como atuar. Também pode reconhecer quando as “garras” estão se aproximando. Algum tempo atrás escrevi sobre isso no post o lado bom da depressão. No caso daquele depoimento, entendi bem o que a pessoa quis dizer, é uma marca tão profunda que te transforma, é um lugar que não queremos mais estar. Boa sema lerehBOM.

  7. Gosto muito dos textos/vídeos que você traz sobre o assunto!
    E adoro seus ‘pitacos’, me identico muito!

  8. No secundário tomava muito xarope de guaraná. Os colegas diziam q era catuaba.kkkk
    Eu estou tomando em comprimidos. Tenho dúvidas de q esteja a dar uma ajuda significativa, mas vou tomando.
    Eu acredito que a depressão tb cause dores no corpo, mas não sei se tem base científica.

  9. Em mercados brasileiros na capital (o xarope).
    Os comprimidos ou pó encontro em loja natural. E tb mastigo comprimido de acerola q compro em loja natural, mas aí na Alemanha vende um mais forte q acerola, q é Arônia.

Diga-me a sua opinião?

%d blogueiros gostam disto: