Das formas como as pessoas lutam.

Flores apontadas para o céu, pés gravados no chão, mais um dia, mais uma canção.

〰〰〰〰〰〰〰〰〰〰〰〰〰〰〰

Uns lutam para viver construindo impérios,

outros para se manter dentro do próprio corpo,

outros para manter um lindo corpo.

Também têm aqueles que lutam para se alimentar,

os que lutam sem acreditar e

os que lutam para se vingar.

Há vários tipos de lutas,

entre elas poucas certezas,

como a do indubitável começo e do fim,

como a do exemplo deixado,

e principalmente

a de que a luta é individual,

mas seus reflexos são coletivos e intensos.

Abaixo segue um som para o nosso sabadão: Ninguém é igual a ninguém (Desilusão), letra e interpretação de Vanessa da Mata, 2014.

🎼A morte em vida🎼minha força talvez seja me lembrar, que me levantei🎼

Bom fim de semana pessoal, seguem meus abraços cristalinos,

🙋🏽‍♀️

Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença

Creative Commons – Atribuição 4.0 Internacional

9 comentários

Diga-me a sua opinião?