Depressão com Poesia

Dados

Transbordam os dados

Com suas faces

Terra, fogo, céu, água, ar

Sutis profundidades

Divididas

Em seus quadrados

Levando fardos, sorte e aleatoriedades

E mais

E além

Também têm

As protuberâncias divinas

Nesses números

Que se transmutam

No maciço dos dias

Ser dado

Brinca

Joga

Advinha

Aposta

Tudo pode

Tudo perde

Até que sejam lançados nas eras

Onde se diluem as regras

E fica só o que foi dado de si

Cuidado

Crianças observam seus dados

Instruções gravadas

Em cada levantar de mão

Dívidas ou dádivas

Está na sua vez.

5 thoughts on “Dados

  1. Lembrei-me de Einstein: “Deus não joga dados”. Mas, os homens estes sim: não apenas jogam, como quando convenientes escondem ou revelam dados…

  2. O problema do apostador é que ele se prende tanto à possibilidade vazia de levar o grande prêmio que não percebe que nesta busca já perdeu muito mais do que poderia ganhar…

Diga-me a sua opinião?

%d blogueiros gostam disto: