Depressão com Poesia

Cinismo

Naquele dia vi Cinismo descendo do muro 

Após tomar forma de deboche, cochicho, risinhos

Caminhou pelo pátio com maquiagem

De salto e gravata 

Era contagiante 

Muitos lhe seguiam

Pregava superficialidade 

Rodava a bolsa

Usava plumas

Coçava a barba 

Olhava para os lados

Queria platéia 

Mas só enxergava a si mesmo

Cinismo fez arruaça 

Nesse mesmo dia

Só parou quando a sua filha

No meio deles, e para todos

Apenas lhe desmentiu

Cinismo saiu de fininho 

Ninguém nunca soube se 

Era ele ou era ela

E a fofa criança lhe seguiu

E seguiu, e seguiu 

Com aquela mochila pesada nas costas.

Diga-me a sua opinião?

%d blogueiros gostam disto: