Depressão com Poesia

Beijo no sapo

Para onde vou carrego

A sombra do corpo e da mente

Nenhum ópio é suficiente

Para apagar o inato…

Todavia

Um rodopio da ciranda

Me derrubou no chão

Quando acordei

Seu sapo me disse

Garota no fundo do lago

Há sombras sim

Mas se você permitir

Minerais e vegetais

Nessas águas profundas

Dificilmente ela irá poluir

De cristalina te chamarão

Sentirá as plumas dos gansos

E as cócegas dos peixes

Mas para isso terá que acreditar

Que sapos viram príncipes…

Cetina, Croácia / Foto: DW Brasil.


Esta obra está licenciada com uma Licença
Creative Commons Atribuição Não Comercial Compartilha Igual 4.0 Internacional

5 thoughts on “Beijo no sapo

Diga-me a sua opinião?

%d blogueiros gostam disto: