Depressão com Poesia

Balançar

No berço do infinito

Desperto ou dormindo

Balança o amor

Permeado

Nas cordas vocais

Nos pulsos mortais

No fluxo sanguíneo

Nos ritmos cardíacos

No olhar de paz

Já zelou-se hoje?

Já selou-se hoje?

Já sorriu-se hoje?

Descansou sua mão

Junto ao coração

E escutou as cantigas

Que só você pode escutar

Sopros do Universo

Que orienta

Cada um de nós

Ao ser capaz

Pelo simples fato de existir

O vulgaz se esvai

O eterno entoa

Ritmados estão

Tão rimados são

Se permites o

Rir amado.

Balançar ba lançar lançar lançar

10 thoughts on “Balançar

  1. Hay tiempo de sobra para “columpiarse” en la música que hizo sacudir las fibras de la juventud. El rock de los 70 fue para mí mi compañero de aventuras en los estudios escolares y los amores locos. Si, me siento en paz y sonrío a la vida por haber disfrutado esos momentos. No me arrepiento de nada y doy inmensamente feliz con esos recuerdos.
    Me encantó tu poema. Tus versos envuelve una parte de mi vida.
    Una verdadera lastima que no estuviste tú.
    Con el cariño de siempre
    Manuel

  2. Agradeço por seu apreço!
    Quarenta é trabalho dobrado às donas de casa, eis o motivo do sumiço 😂 torcendo pra não virar rebuliço nesse lar 😂😂😂 Abraços e se cuide Poeta Carvoeiro.

Sua opinião agrega: comente aqui 🔄

%d blogueiros gostam disto: