Depressão com Poesia

Ave do paraíso.

Foto de autoria de Fernando Rozano, do blog ChronosFeR2 ⬅️ Confira mais.

De peito ao vento
Em movimento
Canto

Num pouso breve
A vida atreve
Em qualquer canto/

A Estrelítzia*
De braço aberto
Chama e recanto

Com marca branca
No olhar altivo
Pássaro encanto/

Das cores quentes
Às gêmeas: pata e planta
Que bom espanto!

A formiguinha
Seguindo a linha
Ali no branco

É só uma foto
Engano seu
É manto santo/

Nas nossas vistas
Quando atentas
Luz aterriza

Na nossa vida
A natureza
Lida amacia/

Em nossa luta
Ficamos presos
Em porta retratos

O pássaro via
Gente não voa
Seguiu viagem

Por ver a cena
Sentir as penas
Sigo cant_ando

No ciclo Terra
Vou na espera
Do clique humano.

〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️

*Estrelítzia = é uma planta originária da África, de clima quente, ciclo perene, também conhecida como flor-da-rainha e ave-do-paraíso.

A rainha referente é a Sofia Carlota, esposa do Rei Jorge III, na Grã Bretanha e Irlanda, em 1761. Ela também foi uma principiante de botânica que ajudou expandir os jardins reais (fonte Wikipédia).

Quanto ao nome ave-do-paraíso, sem comentários, fala por si só.

〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️

Este trabalho está licenciado uma Licença

Creative Commons

Atribuição 4.0 Internacional

8 thoughts on “Ave do paraíso.

  1. Quanta beleza nesta ave e nesta poesia…só uma alma bela é capaz de transportar-nos ao paraíso pelo encanto das rimas poéticas…

  2. Gostei muito da estrutura! Cada estrofe é um breve momento. E claro, belas palavras e bela fotografia! 🙂

  3. Essa cena merece muito mais que essas rimas, o inexplicável não dá pra rimar, mas o que dá vamos tentando. Agradeço Estevam por sua constante presença e carinho.

Diga-me a sua opinião?

%d blogueiros gostam disto: