Asas no peito

Há asas no peito

Que atuam silenciosamente

Dia e noite

Resplandecem nosso estado de humor

Fazem o flutuar no amor

Fazem o sufocar na dor

O propulsor de tais asas

Está inflar e desocupar

Não no inflamar e desesperar

A sustentação dos seres vivos

É invisível

Atua na troca

Do eu com o todo

Haja fôlego

Aja

Com a mente presente

O voo é longo

Do anjo

Pulmão.

2 comentários

  1. Lindo paralelo! Nunca havia tido tal percepção sobre algo tão nosso, parabéns. Me senti bastante inspirado e como comentário definitivo deixo uma rima que pode ser recusada se assim bem entender:

    Traiçoeiro vive inflando
    Seu ego mudando
    Suas asas esvoaçando
    O ar me escapando
    A vida adentrando
    Se de outro modo eu pudesse me expressar eu diria:
    Essas asas são dávidas da vida!
    Pois a vida luta para gerar mais vida!

Diga-me a sua opinião?