Depressão com Poesia

As cartas.

As cartas foram jogadas na mesa
Você tem que se virar
Ainda que não goste de jogar/

O jogo tem nome de passeio
A dama está num esplendoroso lugar
Repleto de flores ao redor/

Rodeado, o rei toma todas as decisões
Se fazendo de fortão
Regras da soberania
Aprenda logo isso minha filha/

Um filho foi para a terra do nunca.
O outro arruma a mala saltitante de alegria, vai acampar com a escola/

Na escola da Terra estamos acampados, numa esfera que gira
e as águas não são derramamadas, onde explodem vulcões que destroem e fertilizam a terra/

Vivo na terra do outro lado do mundo
Os amigos vêm me visitar
Preparo o terreno, enfeito, maquio, ponho flores no vaso vazio.
Para onde mesmo vamos lhes levar para passear?

Cada um brinca conforme seu naipe
Muitos nem percebem que
são Valetes na valeta/

As cartas foram embaralhadas,
Distribuídas
Estão nas mãos/

Cada um com sua sorte e azar
Tudo junto, todos juntos
Sua vez de jogar.

Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição 4.0 Internacional

11 thoughts on “As cartas.

  1. Você me fez lembrar de Einstein dizendo que: “Deus não jogas dados com o universo”…será que ele não joga cartas, mas nos deixou nesta esfera terrestre para jogá-las?

  2. “Vivendo e aprendendo a jogar
    Vivendo e aprendendo a jogar
    Nem sempre ganhando
    Nem sempre perdendo
    Mas, aprendendo a jogar”

    Me fez lembrar essa música da Elis Regina (risos)!

Diga-me a sua opinião?

%d blogueiros gostam disto: