Depressão com Poesia

A libertação da lágrima

Lágrima

 

A lágrima involuntária nasce no ventre

Vai subindo


Queima o estômago


Prende o intestino


Agita o coração


Dá um nó na garganta


Saliva a boca


Sufoca a respiração


E quando você nem percebe


Achando que o pior já passou


Ela escorre


Lentamente


Pelos olhos


Deixando a corrosão de maresia


Na pele.

 

10 thoughts on “A libertação da lágrima

  1. Hoje cedo senti a lágrima queimar em mim: na janela aqui de casa coloco sempre alpiste para os pardais. Esqueci. E quando me aproximei com o café em mãos apenas vi a cabecinha de um deles, o Gasparzinho – aqui todos têm nome – percorrendo o parapeito olhando para dentro. Fui até a janela, abri e coloquei o alpiste. Mal havia fechado, lá estava ele e olhava para mim. Como não derramar lágrima? Muito obrigado, Cris, tua poesia deu vida à minha lágrima. Um grande abraço, minha querida amiga 💐💐💐💐

  2. Amado Fernando, quando podemos ter esse olhar de plenitude significa que a vida vale ser vivida… sintonizado com os pardais… isso é tudo, um alimentando o outro!
    Bom fim de semana e saiba que seus comentários também são alpiste aqui para mim 😂😉😘

  3. Já providenciei mais uma remessa….minha querida, agora as lágrimas causaram uma inundação aqui….mas os alpistes estão salvos! Um abraço imenso e vamos tomar um café?❤️💐☕️☕️

  4. Que maravilha! Pena a distância, o fuso horário, mas quem sabe fazemos assim, quando cada um tomar o seu cria uma conversa e seguimos…o que achas! Olha, meu primeiro café é 7 da manhã, almoço por aí. Tomo sempre com alegria, café puro, com música e olhando a rua. Será muito legal conversando contigo. Um grande abraço com café e muito coração ☕️❤️☕️

  5. Nesta pandemia para o conforto de minha família e o encorajamento de meus filhos, muitas vezes, as lágrimas já chegaram até a garganta, mas, recuaram antes dos olhos…

Sua opinião agrega: comente aqui 🔄

%d blogueiros gostam disto: