Cor, urja!

Fui muito Maria, hoje escolho ser Marta, honro meu tempo. Se aceitei os ossos o ofício porque recusarei o ócio e seus benefícios?

Derramo o perfume poesia, exalto o belo, o sútil, o reflexivo.

O que reflete na minha alma te digo, tomara que isso te acalma, te acolha, te floresça.

Estou onde devo estar. E serei ainda mais livre quando parar de reclamar e aceitar a realidade tal como é, simplesmente louvar a existência.

Quem dá as batidas do meu coração?
Quanto vale o ar que respiro?
Onde se mede os valores atemporais?

Por detrás do umbigo somos todos revestidos com chacras de criatividade, pontos de luz e energia, sempre prontos para serem acionados.

Criei filhos, criei poemas, criei um beagle que mora no céu da saudade, criei um blogue. Crio minha própria realidade.

Marta e Maria eram adoradoras, cada uma à sua maneira, tudo bem ser quem é, quando se há autenticidade o Mestre mostra o caminho.

Toda idade e consciência tem prazer e medo🎶

Como Maria todos diziam que eu não fazia mais do que a obrigação. Hoje sendo Marta me indagam você não tem trabalho, não?

Sorrio, só sei que vivo e isso basta.
A conexão vem quando você se abraça assim como é, sem convenções, e se, ainda assim, se é abraçada é muito melhor.

Virou vício se manter ocupada pra se sentir importante, sem se perguntar o que realmente faz sentido. Provar o quê, pra quem?

Se prove, vê se é bom, se aprove… em construção. Se gosto de ler, vou ler. Se gosto de ver os pássaros no parque, vou caminhar. Gosto de cozinhar, mas a louça pode ficar para amanhã. Se amanhã eu não estiver mais aqui, alguém vai ter que lavar.

Insubstituível só a fé, não o sofá.

Esqueça o que você faz, fez, ou fazia; o que você tem ou deixa de ter, o que esperam de você e seu querer em relação aos outros.

Si dá nesta data. Leia Siddartha.

O eterno é o que deixamos de nós nos outros.

🎶 toda idade tem prazer e medo 🎶 por um dia e não por um ano inteiro 🎶 quando estiver bem cansado 🎶 exista amor pra recomeçar – Frejat.


Referências: Marta e Maria, Bíblia em Lucas 10:38-42 / Livro Siddartha de Hermann Hesse.

2 comentários

  1. “Sorrio, so sei que vivo e isso basta.”
    “O eterno é o que deixamos de nós nos outros.”
    Vou dormir e acordar com esses dois sussurros da vida que vêm de você.
    Viver com o coração – o físico, o simbólico e o metafísico – é urgente (cor-urja). Parabéns pelo seu processo! Caminhar sobre trilhos é fácil. Difícil é abrir as próprias trilhas. Isso é VIVER!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s