A pétala e os pés

A pétala da rosa caiu no pé da mesa

A mesma que harmonizava o ambiente

Deixou o buquê

A casa está diferente

Mas poucos perceberam

Sua relevância homeopática

Agindo diária nas mentes/

Os pés cairam nas pétalas da rosa

Dessa vez todos notaram

Buscavam e justificavam

Os porquês

Sem saber

Que pétalas e pés

Se perdem

Quando deixam

De se agregarem

Na fonte natural

Da beleza.


Hoje é um belo dia para a poesia, uma poeta americana Louise Glück leva o Nobel de literatura (leia a notícia da DW nesse link). Seu poema destacado é Averno que fala do mito de Perséfone quem desce ao inferno.

Quer saber mais sobre esse mito? Aqui está esse texto que escrevi no ano passado:

Perséfone e a Depressão

Abaixo o poema Averno, versão original em inglês, fonte: Poetry Foundation.

4 comentários

  1. Rosas, cresci entre elas, quantas pétalas cheirei, arranquei, presenteei… Quantas pisei… Pés e pétalas… Encontros diários de trabalho…

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s