Feto e afeto, mãe nosso teto

Com o feto nasce a mãe

O filho e o ninho/

De afetos (conscientes e inconscientes)

Formam o ser

Dono dos próprios passos

Nesse e em outros espaços/

Entrelaçados

Aquém e além dos braços

Munidos de desejos

De resplandecer/

Maria recebeu a luz

Mas se apegaram mais às falhas

Nem precisa de fé para acreditar

Que a mãe está em todos e em qualquer lugar onde haja vida/

Gratidão Maria Lúcia!

Mãe Boa ou má

São caraterísticas do julgar

Que não cabem no aleitamento/

Se cá estamos houve o nutrir

Fluindo corpo, mente, alma, emoção

Ir é o que importa – vá –

No pouco ou muito

A Terra é mãe que tudo comporta/

Se hoje você vive

É porque passou por uma mãe

E agora muitas mães passam por você

Em forma de atitudes/

Abrigar ou brigar

É uma questão de pôr o A

Se é que quer que se faça acontecer

Afeto

No condão primordial

Dos nossos dias/


Na alfabetização do infinito

O alfa e o ômega se juntam no AA de AmorAssim deviam ensinarNo Caminho Suave.

Caminho Suave foi a cartilha que fui alfabetizada na década de 80

9 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s