Paisagem, passagem e paz

Querido cume,

Por que há tanta neblina em ti?

Desde o primeiro choro

Começou a escalada

Têm horas que acho que estou perto

Ilusão

Chega a avalanche

Fico sem visão

Ainda zonza

Levanto

Até quando?

Até quando?

Há sufocar

No ar rarefeito

Dessa busca incessante

Das grandes altitudes do ser

Para enfim contemplar

Que tudo em mim é

Paisagem

Passagem e

Paz.

Leia também: Poema Místico

7 comentários

  1. Solamente una alma tan sensible como la tuya, puede encontrar paz y tranquilidad al contemplar el paisaje de esa cordillera. Tú poema es el testigo fiel de tu sentir. Por ese motivo es muy bueno. Saludos.

    Curtir

  2. Muito bonito. Só quem faz parte, verdadeiramente, da paisagem consegue contemplar a ”paisagem”.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s