Trançados

Há tantas tranças no cabelo da menina

Há tantas traças pela casa

Há tantas tralhas no caminho

Há tantas gralhas no lago logo ali

Se o lago, o caminho, a casa e o cabelo

Não calhassem de ser

Tão próximos

A menina conseguiria

Ver a beleza

E deixaria esse

Cale-se.


Chico Buarque e Milton Nascimento na música Cálice.

O poema é sobre conviver com a depressão. Já, essa música ma-ra-vi-lho-sa, foi escrita em 1973, como uma crítica social à ditadura, um hino contra o regime militar.

Mais de 40 anos se passaram e o grito continua preso na garganta.

“Mesmo calada a boca resta o peito…

Mesmo calado o peito resta a cuca”

E qual a relação do poema com a música? Toda e nenhuma.

Toda porque a depressão é também um sintoma da falência social. Estamos todos trançados do começo ao fim, quer queiramos ou não. Então, como ter paz com tanta desigualdade?

E, nenhuma porque a inspiração só apareceu depois de traçar o cabelo da minha filha; lembrar do lago lindo que agora tem perto de casa; me desviar das caixas da mudança, e descobrir nas andanças da madrugada que aqui têm silberfische (traças).

É, meus pensamentos são essa trança aparentemente sem nexo feita por uma Mãe maior.


Esta obra está licenciada com uma Licença
Creative Commons Atribuição Não Comercial Compartilha Igual 4.0 Internacional

4 comentários

  1. Aqui tb há traças. Kkkk
    Início do ano descobri q estavam gordinhas e comprei um papel q elas ficam lá coladas. Assustei-me com a quantidade delas! A sorte é q elas gostam mais de um tipo de tecido e não tinha muitas roupas deste tipo. Ufa! Causou pequeno estrago.

    P.S. Vc desabilitou o curtir?

  2. Se puder me passe o nome desses produtos para ver se acho por aqui. Hoje desci no Keller e peguei meus livros de lá. Se for para serem atacados que ao menos seja no ap e não lá. 😂😂😂

    Miau o curtir está ativado sim.

    Boa semana 🙋🏽‍♀️

Que tal deixar a sua opinião?