O ser e o horizonte

O horizonte existe?

Qual horizonte se vê

Quando se está triste?

A vida é assim contraditória

Te põe um sonho e diz

Volte outra hora

Mas só sabemos disso

Porque somos seres pulsantes

Seres inconstantes

Que ama a beleza

Mas se vê encurralados

Diante das emoções

Buscando razões

Nem sempre existentes

Ou em negações

Para sustentar o

Isso não te pertence mais

A tinta da parede vai sujar

A casa vai acabar

O capitalismo

Vai ser substituído

Já os sonhos

Ah os sonhos!

Eles vão continuar nos alimentando

De que dias melhores virão

E vêm

Ainda que não tenhamos discernimento

Para recebê-los…

Quando estiver caído

Lembre-se sempre

Dos significados


Esta obra está licenciada com uma Licença
Creative Commons Atribuição Não Comercial Compartilha Igual 4.0 Internacional

10 comentários

  1. de tanto olhar o horizonte – e tantos navios recortando-o em pedaços – que um dia passei a acreditar que o horizonte somos nós, com ou sem navios. e dos meus fragmentos descobri que posso me tornar inteiro. (ainda bem que a Terra não é plana) um grande abraço Cris.

  2. LINDA DO MEU ❤️… que você continue sendo abençoada pois escreve coisas tão gostosas de ler… leio e releio diversas vezes!!!

Que tal deixar a sua opinião?