Perdão

Estátua de leão na praça Odeonplatz, Munique/Alemanha.

Por muito ser permissiva

Fui perdendo a vida

E toda forma de gratidão

Deixei de escrever minhas missivas

Entrei nas garras da depressão

Chorei até secarem as lágrimas

Admirei os mortos

Ignorei os vivos

Vivi dias e anos no mundo

De per si

Sem perdão

Sem brilho

Sem comunhão

Padeci

A chuva, a lua e o sol

Continuaram a existir

Persistentes diziam

A vida e a luta são sem fim

Persegui esse som infinito

Me movi

Me movi

Me movi

Aprendi o per-dão

Recebi

Admiti

Perdoei

Acolhi

Prossegui

Dando e recebendo

Perdão☆

Estrelei

Estreei

Renasci.


Leia também o post:

Me deixa quieta que eu quero passar

Publiquei no começo do tratamento para a depressão em 2017. O Leão já esbravejava aquela época, mas não sabia e nem saia para caçar… Acredito que esse foi o post mais expressivo que escrevi sobre o conviver e a depressão. Hoje não penso mais no “querer passar” e isso é um alívio imenso como o som da chuva, da lua e do sol. Hoje vocês leem minhas missivas. Obrigada 🌻



e-books por Cristileine Leão

As Pegadas do Jabuti

para crianças e para quem gosta de autoconhecimento


Flores cantam Poesias: fotografias e poemas

para apreciar a beleza

Esta obra está licenciada com uma Licença
Creative Commons Atribuição Não Comercial Compartilha Igual 4.0 Internacional

9 comentários

  1. Que forma incrivel de descrever o processo pelo qual passaste. Em tão poucas palavras, tanto conteúdo Cris.
    Uma mensagem tão importante.
    Parabéns. ❤

Que tal deixar a sua opinião?