Moldados pela natureza

Pernas cansadas

Da caminhada

Coração a bombear

Mais vibrante

Do que antes

Puro ar

Muita água

Esmeralda

Caem em cachoeiras

Nesse som

Há vários tons

Na paleta verde

Patos e peixes

Procuram por pão

Novo sabor

Para viver

Tão quão eu

Na trilha da natureza

Abraço a raiz

Que me molda

Todos no mesmo barco

Na viagem

Dos sonhos.


FacebookInstagramYouTube
Siga-me nas redes sociais


Esta obra está licenciada com uma Licença
Creative Commons Atribuição Não Comercial Compartilha Igual 4.0 Internacional

13 comentários

  1. Ver seu sorriso e graça de menina enche meus olhos e afaga meu coração. Seja sempre feliz, e assim sendo, viva cada minuto desta Aventura chamada vida!

  2. Depois de 17 anos em sala de aula de escola pública e diante da realidade que nos cerca nestas terras brasileiras…é triste dizer, mas, aos poucos sinto que minhas energias e disposição de ensinar e aprender não são bem vindas…ainda mais quando se fala de filosofia e de nossa capacidade de pensar..

  3. O que dizer…? Fiz uma carta que publiquei hoje. Mas, entendo plenamente o “não são bem vindas”… lembrei daquele poema ‘Intertexto’ que discutimos a autoria um dia. Ainda que não seja a filosofia o esse seu ganha pão, não desista de ensinar, seja nas praças públicas ou nos arrobas, a humanidade precisa disso.

Que tal deixar a sua opinião?