Exercícios possíveis para a felicidade

Por incrível que pareça uma das mais importantes descobertas que tive com a terapia é que precisamos aprender nomear os sentimentos.

Geralmente falamos que estamos felizes, tristes, com medo, com raiva, apenas quando a situação já foi finda. Mas, é no meio do turbilhão que se faz necessário compreender o que se passa, tanto para vivenciar a situação, quanto para nos dizer: “isso também vai passar”.

Algum tempo atrás escrevi sobre a raiva, agora será sobre a felicidade. Vamos lá.

O que te faz feliz?
Parece uma pergunta demodê e para alguns é até difícil responder com autenticidade.

Lembro que no início do tratamento para a depressão eu tinha uma imensa dificuldade para ver o lado positivo da vida. Então, minha filha preparou um bilhetinho para me lembrar que está aqui nesse post Subir na árvore da vida, como foi bom relembrar!

Segundo os cientistas, a felicidade é importante porque libera hormônios benéficas para nosso organismo como a sertononina (ajuda ser mais positiva), a dopamina (ligada ao prazer e a motivação), a endorfina (analgésico natural, reduz a dor), a oxitocina (produzida durante os abraços, beijos e afetos).

Neurotransmissores: hábitos e efeitos / Fonte: Pinterest cacauariano

Quando estamos em estado de felicidade todos ao nosso redor são influenciados porque ficamos mais propensos para sermos gentis, generosos, saudáveis e seguros.

Diante disso, vou enumerar alguns “exercícios possíveis” para aumentar e preservar nossos dias felizes.

Eis 7 acerolas na palma da sua mão:

1) Sorrir é o melhor exercício para a felicidade: os músculos relaxam, o sistema imunológico fica ativo, os pulmões batem palmas.

2) Ver fotos, cartas, cartões de momentos felizes: recordar é viver.

3) Estar em contato com a natureza, ela tem tanto a nos dizer, nela ligamos nossos cinco sentidos com a mãe Terra, assim a eternidade conta nos seus segredos.

4) Atividadea físicas: uma simples caminhada no parque abre pulmões e mente, mas, é com os exercícios constantes e planejado que verá maior benefícios no corpo e no humor.

5) Convivência: ser presente na vida de outras pessoas, o toque, a fala, o favor, o dispôr, movem montanhas.

6) Gratidão: ficar atento nas pequenas coisas que te agradam, não nas muitas que não têm.

Exemplo: sou muito grata pelo headphone que me acompanha todos os dias enquanto arrumo a casa. Com ele posso escutar palestras e músicas na minha língua mãe, aumentar o conhecimento e me desligar do aborrecimento das tarefas repetitivas do serviço de uma dona de casa.

7) Escrever o que há de maravilhoso em você, sim às vezes nos reconhecemos só quando paramos para refletir e colocar tudo concretamente no papel. Você é amigável? Criativo? Paciente? Entusiasmado? Engraçado? Corajoso? Honesto? Compreensivo? Confiante?

Isto não é fórmula, está longe de ser, a felicidade é um bem relativo ao tempo, espaço e ambiente; jamais será absoluta, e só a reconhecemos porque existe a infelicidade.

Como a felicidade faz parte do desejo de todos nós, é sempre bom desenvolvermos umas habilidades para os dias sem acenos.

Olhe o contorno dos dedos da mão, podemos perceber os altos e baixo entre o midinho e o mata piolho, nem por isso a mão deixa de ser mão.

Leia também: Hector e a procura da felicidade

Esta obra está licenciada com uma Licença
Creative Commons Atribuição Não Comercial Compartilha Igual 4.0 Internacional

12 comentários

  1. 🤔vou refletir melhor no que você disse… a princípio acho que as duas variantes são personalizadas, mas, que acima de tudo temos algo em comum: humanos com sonhos e desejos. Bom apontamento.

    Curtir

  2. Oi, Cris!
    Obrigada.
    Você sempre trazendo pra mim e todos os que te seguem uma dose de conhecimento e sabedoria.
    Estou vivenciando uma tristeza sem fim ultimamente. Mas sempre que venho aqui encontro algo que me faz mergulhar ao fundo do consciente e submergir para refletir sobre a minha tristeza.
    Você é fantástica com seus poemas e matérias.
    Espero que seu marido já esteja bem.
    Grande beijo.

    Curtido por 1 pessoa

  3. Espantar a tristeza é um trabalho conjunto Rita, mas, o qual começa conosco baixando as expectativas, escutando o silêncio e domando nossa fera interior. Fico feliz de levar um pouco de refrigério para você. Ele está bem agora, teve umas férias forçada. A vida é assim uma hora o corpo grita, noutras a alma, noutras os dois. Vamos aprendendo equilibrar.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s