Caldeirão da vida

Observaram que aprendemos muito com a dor dos outros/

Já com as nossas mesmas
Nos ferimos/

É como a dona de casa que prepara as refeições todos os dias/

Ela perde o paladar do próprio tempero/

Se cai muito sal ou pimenta em nosso caldo
Desandamos/

Podemos sentir substancialmente o borbulhar

Enquanto os outros só sentem o aroma do guisado/

Pior ainda quando se derrama a própria essência sem ver/

O fato é que querendo ou não
Nossas cortes e amores serão

Misturados

Amassados

Moldados

No caldeirão da vida/

Na qual podemos optar

Em procurar ou não

A poção mágica.

Esta obra está licenciada com uma Licença
Creative Commons Atribuição Não Comercial Compartilha Igual 4.0 Internacional

11 comentários

Que tal deixar a sua opinião?