Aqui estão as chaves.

De quando todas as esperanças estão no externo…

É mais fácil delegar, não assumir os próprios passos, cobrar, julgar, criticar, dar tiro no escuro. Mas, pensem bem, quando uma casa está destruída muitos fatores precisam de atenção, como:

  • Passou um furacão, mas fenômenos naturais são na maioria previsíveis , quase sempre dá para saber de sua chegada e período do ano e se proteger.
  • Deixou sua casa à revelia, aí rola a festa de não se sabe quem, rola o usucapião, rola pintura e decoração estranha e estragos.
  • Não reformou, o tempo destrói tudo, só o que recebe manutenção ficará para a história.
  • Não limpou e organizou, uma casa é exigente, quer presença e atuação; o serviço vai sempre existir, muitas vezes é repetitivo, parece que testando nossa coragem e ânimo.
  • Há de se pagar impostos, contas, taxas, contribuições… há leis e limites pré existestes, o qual podemos lutar contra, ou, nos adaptar.

Poderia enumerar diversos fatores para a manutenção e funcionando de um lugar para se chamar de lar. No entanto, acho que só esses demonstram que brincar de casinha não é fácil, ainda assim, o sonho da casa própria é alimentado. Olhamos para as casas de diversas arquiteturas e sonhamos, ai se eu estivesse lá.

Se você estivesse lá não seria sua terra, por mais que o estilo enxaimel atraia, sempre lembraremos do nosso espaço. Das potencialidades e restrições da nossa terra. Do que construimos, do que deixamos de construir.

Saudosismo à parte, o fato é que se alugamos uma casa confiantes somente na imobiliária, o risco de decepção é altíssimo. Querendo ou não, é necessário passar por lá para ver as condições, escutar e analisar as petições do inquilino, checar se as contas estão sendo pagas, enfim participar.

Muitas vezes você vai encontrar péssimos empreiteiros com seus orçamentos baratos que nos fazem brilhar os olhos. Caia fora.

A tentação do mais lucrar por menos bate na nossa porta todos os dias, não falo do capitalismo, falo da essência humana que tende a fazer cada vez menos esforço, especialmente em prol do bem coletivo, em suma falo do egoísmo.

Muitas vezes você vai encontrar bons administradores e pessoas para te ajudar com as tarefas. Mas lembre-se: desde o abrir ao fechar de portas a responsabilidade é sua, totalmente sua, do que acontece no seu terreno.

Aqui estão as chaves.

Este trabalho está licenciado uma Licença

Creative Commons

Atribuição 4.0 Internacional

4 comentários

  1. O lar está no olhar… de quem vê…
    A chave está na mão… sempre…
    A fechadura em mente… não mente…
    A porta no coração… abertamente…

    Enfrente em paz! Em frente consigo…
    AbrasOM
    GratiDOM

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.