Nomear.

Da cebola ao que se embola.

Descobri que corto cebola de um jeito diferente. Explico. Gosto de assistir programas de culinária, como o da Bela Gil, cozinhar é uma ciência que agrega muitos sentidos, ainda mais na comida saudável, pura cor, sabor, energia, aroma.

Sempre me passou desapercebido como esses chefes cortam cebola. Descascam, cortam no meio, colocam a metade na tábua, com uma mão seguram uma parte da cebola, e com a outra usam a faca para fatiar.

A base da faca é apoiada na tábua frente a outra lateral cebola, e com uma leve pressão deslizam sua face cortante até estar completamente rente na tábua e a fatia de cebola é cortada. Fazem isso com facilidade e agilidade, fico admirada.

Agora, com menos detalhes vou descrever como eu corto cebola. Depois de descasca-lá, coloco a inteira na palma da mão, pego a faca com o corte voltado para mim e começo fatia-lá.

Já tentei daquela outra maneira, não funcionou. Deve ser porque há mais de trinta anos corto a cebola assim, aprendi vendo minha mãe. Só fui notar que cortava cebolas de maneira diferente quando outra pessoa me chamou atenção: “cuidado isso é perigoso”.

Claro que nesse tempo todo tive vários cortes, nada tão sério, a não ser uma vez que fui descarcar abóbora para fazer uma sopa.

Coloquei muita pressão, achei que a casca estava dura, a faca entrou naquele vão entre o dedão e o dedo indicador. Gelei, assustei, gritei!

Quando fui mexer no dedão ele veio para o lado, até então não sangrava, vi meus tendões, aí o corte desandou a sangrar.

Liguei para o marido que estava com as crianças noutro canto da cidade, então amarrei uma tala, peguei o carro rumo ao hospital. Não consegui dirigir, ele chegou. Resultado: pontos, curativo e restrição para movimentação.

Nem esse episódio mudou meu jeito de cortar legumes e verduras. Mas depois desse susto procurei por um processador.

Da minha maneira consigo obter fatias na espessura, tamanho e formas que desejo. Cada um tem seu jeito intrínseco de fazer e sentir.

Mas, atenção, esse texto não fala de cebolas e nem abóboras…

Nomei seus próprios vegetais.

Este trabalho está licenciado uma Licença

Creative Commons

Atribuição 4.0 Internacional

2 comentários

  1. Olha, que coincidência! Hoje cortei 2 dedos da mão esquerda cortando em pedaços um caqui. Eu, não sei o pq, resolvi cortá-lo de uma forma diferente e a faca escorregou direto para os meus 2 dedos devido a inclinação que fiz com a faca. Um dedo sangrou bastante e o outro nem havia percebido.
    Eu corto como os chefes. Não tenho paciência de usar o processador q deveria ser o ideal.
    Conheci 2 senhoras q cortavam com a cebola na mão por camadas e ainda nas mãos picava-as. Tentei isso uma vez, mas não deu certo. Hahaha

    Curtido por 2 pessoas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.