O dom no labirinto.

Um dom soa como som

Quando não toca com comparação/

Um chão sustenta o sujeito

Quando ele anda superando defeitos/

Um leito é bem habitado

Quando se sabe quem dorme ao seu lado/

O fado é o canto de todos

Que tem corpo e busca dignidade/

A dignidade se perdeu no labirinto

Do mundo intrincado e desorientado/

Cansei de dançar pra lá e pra cá

Sintomas de desilusão/

Perdida te clamo

Dom

Dom…

Ecoo em segredo na verde prisão

Atrás de cabana no infinito

Este trabalho está licenciado uma Licença

Creative Commons

Atribuição 4.0 Internacional

Que tal deixar a sua opinião?