Estrangeira.

São as lágrimas que se desprendem das pupilas involuntariamente

É o coração que acelera sem susto

A respiração que pesa toneladas

Testa gelada

Calafrios

Pensamento estacionado

Desorientação

É a distância

Risos perdidos

O crescer sem ver

São aqueles segredos não contatos que se entregam só na convivência

A tolerância que não teve terreno para ser desenvolvida

O amor pelo filtro da tela

Um risco oceânico no caminho

O riso para despistar a desilusão

Água viva no peito

É ela a saudade

Na vida estrangeira.

〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️

*Para minha irmã.

Este trabalho está licenciado uma Licença

Creative Commons

Atribuição 4.0 Internacional

7 comentários

  1. “O amor pelo filtro da tela

    Um risco oceânico no caminho

    O riso para despistar a desilusão

    Água viva no peito

    É ela a saudade

    Na vida estrangeira.”

    Curtido por 2 pessoas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.