Dilacerante.

Tento segurar minha vida em mim

É dilacerante

Esse apego

O faço para não ser egoísta

Com os outros que me ama

E sou comigo mesma

Tento ver graça

Os dias passam passam e passam

Continuo me sentindo covarde

Presa numa casca

Passando uma força que não tenho

Fingindo

Fugindo do espelho

Repete uma afirmação desde criança

Eu não queria estar aqui

Torço para que a vida se acabe

De uma vez por todas

Não caibo nela

Não me encaixo

Se não me suporto

Porque alguém deveria?

Cansei

Queria ser escritora

Mas não tenho ideias vendáveis

Além das advindas do sofrimento

As outras mais

São todas ideias copiadas

Do moralismo vigente

Minha alma sofre

Mais do que eu possa saber

Quando criança batia a cabeça na parede

Hoje a parede bate em mim

Não posso fugir

Das paredes invisíveis desse labirinto

Quando vejo, ficou um calo

Todos dizem

Vai sarar quando…

Casei

Agora além de mim

Tenho que levar o que chamam de família

O peso da responsabilidade dobrou

E o ofício de mostrar aos filhos que a vida é bela, quem me dera,

Quando eu mesma não confio nela

Me sinto presa, sufocada

Fugindo dos meus pensamentos o tempo todo

Temo ser quem sou
Porque não queria ser

Se o auge de uma pessoa é a vida

Porque nos abandonamos tanto?

Ao meu redor todos dizem uma coisa e fazem outra

Mas eles não se importam com isso

Não suporto minha própria falsidade, quem dirá a alheia

No fundo estão todos correndo atrás de seus próprios garfos

Sem se preocupar com os fardos dos outros

Achando que pessoas como eu só se alimentam com tridente…

Sem saber que olhar de piedade não sacia

Que o toque de amizade alívia.

〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️〰️

O que pode se esperar de uma pessoa que pensa assim?

Ontem dormi sem querer acordar. Hoje após encaminhar a criançada para escola, fui ver os e-mails. Para minha surpresa uma pessoa, que ainda não conheço pessoalmente, escreveu dizendo que que fez um desenho para eu contemplar, colorir e mentalizar.

Eis a vida me chamando, o carinho que enaltece!

Os pensamentos não mudaram, mas receberam um toque de felicidade.

A diferença é que agora tomando antidepressivo e fazendo psicoterapia, consigo os identificar tais pensamentos e procuro não me afundar neles. Outra grande diferença é que com o tratamento tenho energia (falo da física mesmo) para levantar e fazer as atividades diárias. E a mais hábil diferença é que consigo perceber o carinho mesmo de quem está à milhas de distância.

Esse foi o primeiro texto que fiquei receosa em publicar, é forte e muito expositivo. Mas aí lembrei do que havia falado para vocês, nessa altura do campeonato não tenho nada para perder.

Talvez alguém encontre identificação, se sim saiba que não está só nesse sofrimento existencial. Que mesmo um desenho pode mudar a maneira de lidar com o seu dia.

Por horas resolvi lutar, sei que não escolhi ser assim, mas posso escolher não estar assim.

Respondendo à questão acima, vou esperar o melhor de mim, mesmo quando não conseguir enxergar.

Este trabalho está licenciado uma Licença

Creative Commons

Atribuição 4.0 Internacional

24 comentários

  1. Chorei ao ler seu texto minha querida amiga… não por ser forte e muito expositivo, mas por me tornar mais humano do que já sou. E como todo ser humano, talvez seja a sensação de impotência que nos toma ao ler este seu relato que, ainda que triste é bonito por ser verdadeiro. O que posso fazer?! Lembrei-me dos últimos momentos com minha irmã no qual ela repetiu várias vezes: Sandro… estou indo embora… estou indo, Sandro! E eu tentando acalma-la dizia: Calma Ivone… estamos aqui! Não tenha pressa… tudo tem a sua hora, mas você não está sozinha… estamos aqui! E apesar de aparentar calma naquele momento, meu coração era dilacerado pela enorme sensação de impotência. Perdoe-me se este comentário não era o que gostaria de ler (também fiquei receoso e peço que delete se assim achar melhor) mas saiu transbordando do meu coração. O que posso lhe dizer é que:.. não tenha pressa… estamos aqui (pelo menos a internet nos dá o superpoder de teletransportar pensamentos)! Tenha um dia abençoado e produtivo! Beijo no coração Cristileine!

    Curtido por 3 pessoas

  2. Suas palavras são bem vindas, já me sinto sua irmã. O dia está sendo produtivo, a vida demanda, hora de buscar a tropa na escola e sextaaaa. Quando colocamos a dor para fora, ainda que no papel, parece que os pensamentos vão se reorganizado. Quanto à sua irmã, que passagem. Lembrei o quão distante está minha família, mas como você disse temos esse teletransportador. Muito obrigada por seu carinho constante. Tenha um excelente dia. Beijo.

    Curtido por 2 pessoas

  3. O pior na vida e o que mais se percebe são pessoas vivendo vidas que não são delas. É preciso coragem para estar em constante mudanças, e como diria Abujamra “Quem tem medo da Desgraça não evita a Desgraça”.
    Parabens pela força de conseguir expor tudo isso.

    Curtido por 2 pessoas

  4. “E o ofício de mostrar aos filhos que a vida é bela, quem me dera” : Quem nos dera!
    É preciso bailar bem para continuar na dança das cadeiras.

    P.S.: parece q não vai haver horário de inverno. O que achas?

    Curtido por 1 pessoa

  5. Olá, então, nem acho que isso seja coragem, mas um grito de alerta para tentar assustar a desgraça. Como você refraseou: “quem tem medo da desgraça não evita a desgraça”, estamos aqui suscetíveis… Obrigada por comentar.

    Curtido por 1 pessoa

  6. Não tenho uma opinião formada sobre isso. Uns dizem que é para a economia de energia, outros dizem que é balela. Aqui já temos mudanças bruscas para nosso relógio biológico: no verão ficar claro até às 22h e no inverno escurecer às 16h. Mas aí é outro assunto que não tem como alterar. Claro, que sou a favor das medidas de economia de energia, as quais devem ser muito além que imposições de horários…

    Curtir

  7. Cris, você não está só! Escrever é sua terapia! E o faz muito bem! Quando estava grávida do primeiro filho fiquei com depressão. Nada tomei. Senti essa ausência de forças para tudo e me culpava, pois estar grávida era um sonho maravilhoso! A médica disse que era devido a confusão hormonal. Foi duro! A família nos faz tirar forças de onde nem imaginamos possuir, principalmente filhos. Felizmente venci aquela fase. Luto contra tudo isso me doando aos outros. Sei que se eu parar a “parede baterá em mim”. Tenho antecedentes. E acompanho o afundar e tentar reerguer-se de meu irmão depressivo e alcoólico. E escrevo e sigo…

    Curtido por 1 pessoa

  8. Não me referia à economia. Apesar de reconhecida importância.
    Referia-me ao corpo e a mente.
    Nessas quase 2 décadas, não sei o q é não ter horário de inverno. Receio o período p mim e p os estudantes. Até pq não falam de mudanças no horário de escola.

    Curtido por 1 pessoa

  9. Musicas são umas das minhas terapias pra seguir “caminhando e cantando e seguindo a canção”, e me lembrei de Lulu Santos dizendo-nos que: “a vida vem em ondas como o mar, num indo e vindo infinito”
    Ele que há pouco se libertou de amarras sociais e sem revolucionar, mas revolvendo-se mostrou que tem vontades e desejos que fogem ao padrão estabelecido e nem porisso deixa de ser quem é como parte desta sociedade que ai está. Benditos os artistas, escritores, filósofos e toda sorte de gente que se expressa, e sem pressa chega mais longe do que os que correm sem saber pra onde vão.

    Curtir

  10. Ah entendi, é ruim mesmo. Estou imaginando eu na estação naquele escuro e frio. Eu não dirijo aqui. Quando mudei para cá nem sabia desses dias curtos e longos. Muitas descobertas e adaptações. Bom fim de semana.

    Curtir

  11. Me identifico muito, por vezes não quero acordar, não gostaria de estar de aqui.
    Mas ao mesmo tempo, não conseguimos desistir, pelas pessoas que nos amam.
    É uma luta diária, com terapia e remédios vamos seguindo.

    Curtido por 1 pessoa

  12. Vamos. Hoje o que me causa mais responsabilidade é também o motivo da minha existência, os filhos. Mas, eles crescem rapidamente e não tenho pretensão nenhuma que fiquem debaixo da minha asa. Então fico pensando o que será que será. Quanto comento isso com a psicóloga, ela diz que em cada momento da vida podemos e devemos achar um sentido, que se sinto que logo eles vão partir, é hora de ir colocando outro sentido no lugar. Gostei dessa ideia, nada termina, tudo se renova. Também gostei do que sua psicóloga falou para você, me ajudou muito, saber nomear as coisas. Agora quando tenho ataque de frustação e aqueles pensamentos aproveitam a brecha para invadirem, paro, penso, nomeio e logo eles passam. Me ajudou muito. Obrigada 😘

    Curtido por 1 pessoa

  13. Imagino como seja.
    Mas sua psicologa está certa. E temos que passar por cada momento de uma vez. Quando chegar a hora deles serem independentes, aos poucos você encontrará outros sentidos.
    Sim, ajuda bastante mesmo, separar as coisas e nomeá-las corretamente. Vemos com mais clareza.
    E fico que tenha ajudado. 😊
    Bjos 😘

    Curtido por 1 pessoa

  14. Oi, Cris!
    A mente é terra que ninguém do externo pisa, a não ser nós mesmo com ajuda de mapas de vivencias de outros para nos orientar. Mas, na verdade acredito que, a força vem do eu mesmo de cada um, dependendo do estado de espirito do qual se encontra.
    Eu não tenho a doença, mas devo admitir que parece que você tirou isso da minha mente. Tenho absoluta certeza que muitas pessoas se identificam com sua vivência! Acredito que é uma forma comportamental normal de cada sentimento do ser humano.
    Todos nós vivemos pressões emocionais, como se estivéssemos saindo de do reflexo do vicio das drogas externas da vida!
    O mais importante é encontrar através dos mapas de vivencias de outros para nos orientar e a vida ter seu curso…
    Não sei se me fiz entender, ou piorar a sua forma de pensar, mas saiba que você não está sozinha!
    Grande Beijo.
    Fique bem, você é uma pérula lapidada!

    Curtido por 1 pessoa

  15. Sei disso, a luta é contra o próprio pensamento. Em tratamento é mais fácil de entender como lidar com os pensamentos negativos e destrutivos. Abraços querida, espero que já tenha se restabelecido. Bj.

    Curtido por 1 pessoa

  16. Cristileine, boa tarde. O sofrimento é um campo fértil para as palavras, mas, não as tomai pelo sentido óbvio. As palavras podem ser cáusticas, ásperas, macias, suaves. Depende de quem as fala, da condição da narrativa. Sua narrativa, apesar da depressão, me soa suave. Gostei muito… Bjus

    Curtido por 1 pessoa

  17. Olá, isso mesmo, tudo depende do tempo e da condição que o sofrimento nos atinge. Nessa narrativa eu estava bem cáustica, mas depois fiquei “articulando” para não me derreter nesse meio corrosivo. Obrigada por seu comentário e até mais.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.