Nós.

Vocês já repararam

Nos tantos de nós calados?

Uns dizem que eles são cegos

Duvido muito

Os cegos enxergam pelo tato

Pelos pelôs entendem/

Quanto à nós,

Não sabemos seus apelos

Eles são calados

Feitos para não desmanchar/

Inacessíveis apertos

Com a meta de segurar

O peso alheio

Na rede, no mar, no lar/

Enquanto eles mesmos nem entendem

Dos próprios nós

Na gravata, na corda

Meu primo morreu de nó…

Quem dá bola aos calados

Além daqueles

Que precisam lhes usar?

Ah, esses nós calados

Não se emendam …

Nenhuma amarração podem lhes segurar

Porque nunca sabemos o que pensam

Esses calejados nós.

Este trabalho está licenciado uma Licença

Creative Commons

Atribuição 4.0 Internacional

7 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.